Foto: Lucas Uebel

Em petardo de Edílson a 116 km/h abriu caminho para a goleada do Grêmio por 5 a 0 sobre o Sport, na tarde de sábado, aos 19 minutos do primeiro tempo. O período de bola rolando na partida é relativamente curto, mas durou uma eternidade para o lateral, marcado pelo pênalti perdido na decisão contra o Cruzeiro, na semifinal da Copa do Brasil, há 11 dias. Neste caso, o tempo jogou a favor. E a resposta, que era uma espécie de provação ao grupo todo, veio em grande estilo, no seu 100º jogo pelo clube, ainda mais com uma jogadaça no segundo gol.

Após o duelo na Arena, Edílson explicou ter “sofrido muito” com a penalidade que parou na trave de Fábio no último dia 23. Além disso, ele havia perdido outra cobrança durante o Brasileirão, na derrota em casa por 2 a 0 para o Avaí, quando o embate estava empatado em 0 a 0. Portanto, a comemoração com raiva ao acertar o foguete de 116 km/h na cobrança de falta a 16,8 metros do gol serviu para aliviar a pressão – a marca do pênalti fica a 11 metros. Vale lembrar que na vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense, também pelo nacional, acertou outra pancada de uma distância maior.

– Às vezes erro o pênalti que é muito mais perto e acerto mais longe de falta. Sofremos muito pela eliminação (na Copa do Brasil), principalmente eu. Precisávamos nos recuperar logo e conseguimos. A falta estava muito próxima, eu sabia que se acertasse o gol, pela força, seria difícil para o Magrão pegar. Então, o mais importante era acertar o canto e bater forte – afirmou o lateral-direito.

O segundo lance que saiu dos pés de Edílson foi mais plástico. Avançou sobre a defesa do Sport como se fosse um atacante de lado, com uma caneta em Sander e uma meia-lua em Henríquez, e rolou para trás até Everton, que apenas concluiu sem dar chance ao goleiro. Léo Moura também acompanhou a jogada e acabou chutando o ar.

– Pude driblar o Sander e logo em seguida tinha um cara. Tentei dar um toque rápido para tirar ele e fui no fundo. Olhei o Everton e o Léo, aí o Everton foi mais fominha e entrou na frente do Léo. Independente dos gols, o grupo todo está de parabéns pela vitória – acrescentou.

Se a partida tivesse contado para o Cartola FC, Edílson também teria “mitado” com 19,90 pontos. Assim, a tarde foi tão perfeita para o jogador de 31 anos que também pôde comemorar seu 100º jogo com a camisa do Grêmio, em três passagens pelo clube. Além do título da Copa do Brasil do ano passado, ergueu o troféu do Gauchão de 2010. Ao todo, tem seis gols marcados.

Depois de vencer e diminuir a diferença para o líder Corinthians para sete pontos, o Grêmio terá folga neste domingo e se reapresenta para treinos na segunda-feira. Será mais uma semana inteira sem jogos até o duelo com o Vasco, no próximo sábado, pela 23ª rodada do Brasileirão.



Veja também