O Ministério Público celebrou um acordo preliminar com a OAS Investimentos e demais partes envolvidas para a realização das obras de infraestrutura no entorno da Arena do Grêmio, na zona norte de Porto Alegre. O acerto abre caminho para o Grêmio enfim antecipar a compra da gestão do estádio, hoje nas mãos de uma empresa.

As obras são compensações da empresa ao município de Porto Alegre para a construção do empreendimento inaugurado no fim de 2012, mas ainda seguem pendentes. O acordo prevê o início dos trabalhos no bairro Humaitá já nos próximos dias.

Conforme o MP, a OAS Investimentos assumirá a execução das obras que eram da OAS S.A e da construtora OAS por conta da recuperação judicial da empresa. O aporte será de R$ 12 milhões, enquanto o Grêmio vai ser garantidor de mais R$ 37 milhões.

Obras em bairros da Arena do Grêmio sairão do papel  — Foto: Vinicius Costa/BP Filmes

Obras em bairros da Arena do Grêmio sairão do papel — Foto: Vinicius Costa/BP Filmes

Esse valor será deduzido de um acordo para compra da gestão antecipada da Arena, estipulado para ocorrer até julho de 2021 no documento. A obrigação do Grêmio como garantidor só vai até esta data se as tratativas de aquisição da Arena Porto Alegrense, empresa que administra o estádio, forem concluídas.

Entre as melhorias de infraestrutura no entorno do estádio, estão previstas obras de macrodrenagem, para diminuir o impacto de alagamentos nos bairros da região, viárias e também a construção de um quartel para a polícia militar gaúcha.

Participaram de todo o processo a Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente da capital gaúcha, além do Prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr., representantes do Grêmio e de empresas ligadas aos empreendimentos imobiliários próximos da Arena.

Em julho, o Ministério Público havia rejeitado uma proposta de acordo para a realização das obras no entorno do estádio e listou alguns pontos que precisavam de ajustas. Com as mudanças, as melhorias enfim podem sair do papel.

A Arena foi inaugura em dezembro de 2012. A compra da gestão do estádio é quase uma obsessão entre os gremistas desde que o ex-presidente Fábio Koff afirmou, em 2013, que “a Arena não é do Grêmio”. Em 2014, o ex-dirigente chegou a anunciar acordo com a OAS para a compra do estádio, que nunca saiu do papel.

Durante a gestão do presidente Romildo Bolzan Jr., o Grêmio se viu perto de enfim assumir a operação do estádio várias vezes, mas as tratativas sempre retrocederam. Com esse novo passo, a expectativa é de que isso possa ocorrer em 2021.



Veja também