Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital

A escalação do Grêmio para enfrentar o Botafogo na quarta-feira, pelo primeiro jogo das quartas de final da Libertadores, também no Rio de Janeiro, passa pela liberação de Geromel e Luan do departamento médico. Pelo que disseram Renato e o vice de futebol Odorico Roman no sábado, o zagueiro é quem tem mais chances de atuar, praticamente recuperado de uma lesão muscular na coxa direita que o tirou de combate por três semanas.

O caso de Luan inspira mais cuidados. Dirigente e treinador fizeram questão de frisar que o clube não irá forçar sua entrada em campo caso não esteja 100% fisicamente, sob risco de a lesão ser agravada pela exigência do duelo.

– Geromel está em plenas condições, treinou ontem (sexta). Vamos ver. Luan está se recuperando, vamos avaliando. A gente tem a expectativa que possa jogar, é um jogador importante. Esperamos que evolua mais e atue na quarta-feira na plenitude. A lesão que ele teve não foi grave, mas se entrar e não estiver 100%, corre o risco de agravá-la. Isso tudo vai ser avaliado com os médicos e o jogador – comentou Odorico.

Junto à delegação que segue no Rio, a dupla acompanhou a derrota para o Vasco em um camarote de São Januário. Na chegada ao estádio, desceram do ônibus sem aparentar qualquer limitação de movimento. Depois do jogo, os reservas fizeram um trabalho físico no gramado. Eles não participaram e deixaram o local sem falar com a imprensa.

Sem Luan, Renato deve ter mais trabalho para sistematizar o jogo do Grêmio contra o Botafogo, visto que o time titular não conseguiu render em sua plenitude. Vendido, Pedro Rocha continua substituído por Fernandinho, o melhor gremista em campo no sábado, mas Luan não tem reposição, conforme o próprio treinador relatou.

– Ele (Luan), na minha opinião, é o melhor do Brasileirão. Joga uma partida intensamente, não para, cria bastante. Hoje (sábado) a gente colocou o Léo Moura ali, mas toda equipe foi mal. O problema é não termos um jogador daquela característica. Por isso tivemos que improvisar – disse Renato.

Há ainda a ausência de Michel, suspenso na Libertadores. Dificilmente Portaluppi irá escalar dois volantes de baixa estatura, vide Ramiro e Arthur, lado a lado. Assim, o jovem – e criticado – Jailson corre por fora. Ramiro também precisa voltar a mostrar o futebol que o transformou em uma das peças fundamentais da engrenagem tricolor. Seu rendimento decaiu nas últimas partidas.

“Nossa equipe não jogou futebol que está jogando. O Vasco dificultou jogando atrás da linha da bola. Passou. Agora é levantar a cabeça, já que temos uma decisão pela frente na quarta. Será um jogo diferente, precisamos ser inteligentes fora de casa. Tem o jogo da volta, então vamos esperar a estratégia do Renato”. (Léo Moura, lateral-direito)

A derrota impossibilitou que o Grêmio diminuísse para quatro pontos a distância para o líder Corinthians. E, dependendo do resultado do Timão neste domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro, os 10 pontos de diferença podem voltar. Independentemente disso, o Tricolor segue em segundo, com 43 pontos. Na quarta-feira, às 21h45, no Engenhão, joga os primeiros 90 de 180 minutos diante do Botafogo, pelas quartas de final da Libertadores.



Veja também