Novo esquema, Bolaños ou Maxi: as opções do Grêmio sem Douglas

Douglas para por seis meses e o Grêmio precisa encontrar alternativas sem ele

9 de fevereiro de 2017 - Às 06:21
Foto: Ronaldo Bernardi/Agência RBS

Douglas rompeu o ligamento cruzado do joelho esquerdo no treinamento do Grêmio da manhã de quarta-feira. E criou um problema gigantesco para o técnico Renato Gaúcho. Sem ele, com dificuldades para repor, o Grêmio tem três opções claras: um novo esquema, Bolaños ou Maxi Rodríguez.

Já na partida diante do Flamengo, quando usou reservas, o esquema tático foi alterado. O comando gremista – representado lá pelo auxiliar Alexandre Mendes – montou um 4-1-4-1 em vez do habitual 4-2-3-1. Com três volantes, dois jogadores abertos e um centroavante, a movimentação remonta algo já feito por Renato no Grêmio em 2013. Uma equipe sem a figura do armador.

Mas não é a preferência. Douglas era o centralizador das ações ofensivas da equipe e há dois jogadores no elenco que podem fazer movimentos semelhantes em campo. Maxi Rodríguez e Bolaños.

O primeiro conta com apreço de Renato, que pediu sua permanência no grupo. O uruguaio, contudo, não tem atuado com frequência. Entra em treinamentos, participou dos jogos-treino do time tricolor, mas fez sua estreia apenas no segundo tempo da derrota por 2 a 0 contra o Flamengo. Começou como reserva do time reserva.

Técnico e bom finalizador, o jogador pode ter a segunda chance para se firmar no clube, já que em 2014 foi elevado ao posto de titular por Enderson Moreira, mas não teve bom rendimento e acabou escanteado.

Outra opção é Miller Bolaños. Mesmo que seja usado como centroavante por Renato na maioria das vezes que é escalado, o equatoriano pediu no ano passado para jogar recuado e mostrou por ali o melhor rendimento. Pode atuar atrás de Luan, alternando posicionamento com o mais jovem.

Ainda há chance para Lincoln, mas o armador foi escanteado pelo técnico Renato Gaúcho e treinou até com o time de transição no ano passado.

Reforços são complicados

Se já era difícil completar o grupo com zagueiros e volantes, ficará ainda mais se o clube optar por contratar um meia. Com pouco a investir e um mercado restrito, a direção gremista procurará agir com criatividade para repor a carência aberta pela lesão do ‘Maestro’. Não há garantia de reforços, muito menos de peso. A tendência é que o elenco seja o mesmo, com acréscimos apenas para completar relação até o fim do primeiro semestre.

“Conhecemos o grupo que temos e vamos analisar friamente durante a semana. Se encontrarmos essa necessidade, podemos ir atrás de um meia também”, disse o vice de futebol Odorico Roman.

Fonte: UOL



Veja também