Nomes de seleção, Everton e Piris se reencontram em quinto e decisivo duelo no Paraguai

Atacante pelo lado esquerdo do Grêmio e lateral-direito do Libertad ficam frente a frente mais uma vez na quinta-feira, às 21h30, no jogo de volta das oitavas de final da Libertadores

31 de julho de 2019 - Às 12:06

Se há dois jogadores que praticamente decoraram o repertório do rival, são o gremista Everton e Iván Piris, do Libertad. Somente em 2019, o atacante pelo lado esquerdo e o lateral-direito se enfrentaram quatro vezes: três pela Libertadores e uma delas pelas seleções de seus respectivos países na Copa América. Na quinta-feira, farão mais um duelo decisivo no segundo jogo das oitavas de final, no Defensores del Chaco, às 21h30.

A vantagem é de Cebolinha, que soma duas vitórias, um empate e uma derrota neste embate particular. Os dois triunfos foram por 2 a 0 do Tricolor sobre o time paraguaio – na fase de grupos e na primeira partida das oitavas da Libertadores.

Ainda há a classificação do Brasil sobre o Paraguai, nas quartas de final da Copa América, empatado em 0 a 0 no tempo normal e com vitória verde-amarela nos pênaltis. A única derrota foi em março, na Arena, no primeiro jogo em casa pela fase de grupos.

Relembre os quatro jogos:

12/03 – Grêmio 0 x 1 Libertad – Libertadores – Fase de grupos

Everton e Piris toparam pela primeira vez na segunda rodada do Grupo H da Libertadores. Na Arena, o Grêmio foi surpreendido pelo Libertad e perdeu por 1 a 0. No lance do gol, inclusive, o Cebolinha teve a chance de fazer uma falta no meio de campo durante o contra-ataque paraguaio. Mas faltou cacoete de marcador, e a bola terminou na rede de Paulo Victor.

Na tentativa de buscar o resultado, o atacante foi para cima do lateral. Porém, não teve êxito. Foram três finalizações e três dribles errados na partida, além de um impedimento. Piris cometeu somente uma falta e parou os avanços tricolores em sete oportunidades.

  • Everton: 3 finalizações; 3 passes errados; 5 interceptações; 3 dribles errados; 2 faltas recebidas; 1 impedimento
  • Piris: 2 cruzamentos errados; 8 passes errados; 7 interceptações; 1 falta cometida

23/04 – Libertad 0 x 2 Grêmio – Libertadores – Fase de grupos

Na penúltima rodada do grupo, o Grêmio chegou ao Paraguai com a possibilidade de ser eliminado da Libertadores. Mas tinha Everton em noite de brilho. Ele marcou os dois gols da vitória tricolor. E ambos os lances em cima de Piris.

No primeiro tempo, o atacante entrou na área da esquerda para o meio e deu dois cortes secos sobre o paraguaio antes de fuzilar. No segundo, conduziu a bola da direita para o meio e ganhou de Piris no “pé de ferro” até finalizar na saída do goleiro.

  • Everton: 4 finalizações; 2 gols; 7 passes errados; 9 interceptações; 6 dribles errados; 3 faltas recebidas; 3 faltas cometidas
  • Piris: 1 finalização; 3 cruzamentos errados; 12 passes errados; 13 interceptações; 2 faltas recebidas

27/06 – Brasil 0 (4) x (3) 0 Paraguai – Copa América – Quartas de final

O destino quis que a dupla se encontrasse novamente na Copa América. O Brasil enfrentou o Paraguai, veja só, na Arena do Grêmio, nas quartas de final. E mais uma vez Everton atormentou a vida do lateral. Ele construiu pelo menos cinco jogadas por seu setor, sem medo de Piris.

Nos minutos finais da partida, quando a Seleção aumentou a pressão sobre o adversário — que tinha um a menos —, o gremista por pouco não marcou. Das chances que criou, o Cebolinha finalizou duas vezes. Em uma delas, a bola desviou no paraguaio e saiu pela linha de fundo. Na outra, pegou a sobra dentro da área e mandou por cima.

 
  • Everton: 6 finalizações; 4 passes errados; 1 lançamento; 3 dribles errados; 1 falta sofrida
  • Piris: 2 lançamentos; 2 passes errados; 4 interceptações; 2 faltas cometidas; 1 cartão amarelo

25/07 – Grêmio 2 x 0 Libertad – Libertadores – Oitavas de final

O quarto confronto ocorreu na semana passada, recheado de tensão para os gremistas que estiveram na Arena. Tanto que Everton não foi o principal jogador. Finalizou apenas uma vez, errou sete passes e falhou em quatro tentativas de drible.

Os gols gremistas saíram em jogadas de bola parada, pois o ferrolho paraguaio parecia não suavizar. Reflexo disso, Piris acumulou sete interceptações ao longo da partida, e só cometeu uma falta.

  • Everton: 1 finalização; 7 passes errados; 4 interceptações; 4 dribles errados; 2 faltas sofridas; 1 falta cometida
  • Piris: 2 cruzamentos errados; 4 passes errados; 7 interceptações; 1 falta cometida


Veja também