A mudança de ares torna-se a cada dia melhor para Lucas Barrios. Depois de uma passagem de quase dois anos que não deixou saudade no Palmeiras, em apenas quatro meses com a camisa do Grêmio ele já mostra ter recuperado o futebol que o revelou para o mundo. Os números comprovam: no período de um ano e sete meses em São Paulo, o paraguaio fez 13 gols. Nos 120 dias em Porto Alegre, contabiliza 14 e, de quebra, reassume a artilharia tricolor no ano.

Na goleada sobre o Atlético-PR, na noite de quarta-feira, Barrios fez o terceiro jogo seguido após se recuperar de um edema no músculo posterior da coxa direita, que o afastou dos gramados por exatamente duas semanas. Ele sentiu o problema durante o 6 a 3 sobre a Chapecoense, pelo Brasileirão, no dia 8 de junho. Voltou na vitória por 2 a 0 sobre o Coritiba. Na derrota para o Corinthians, teve atuação apagada. Foi na Copa do Brasil, porém, que provou a forma.

Em apenas sete minutos, marcou dois gols diante do Furacão. O primeiro, aos 22 do primeiro tempo, em um petardo de fora da área após passe de Pedro Rocha. O segundo, aos 29, depois de nova tabela com o parceiro de ataque. Assim, chegou aos 14 na temporada e voltou a liderar o quesito na equipe, à frente dos 13 de Luan. São 23 jogos com a camisa do Grêmio – média de 0,6 por partida. Durante os 19 meses em que permaneceu no Palmeiras, entrou em campo 44 vezes, com 13 bolas na rede – média de 0,3.

O sucesso do atacante pode ser creditado, em parte, ao técnico Renato Portaluppi, que desde o ano passado se ressentia de não ter um centroavante de origem no grupo para mudar a forma do time jogar e surpreender os adversários. A chegada do paraguaio caiu tão bem que o time se adaptou ao seu estilo e já marcou impressionantes 74 gols em 2017, ainda na metade do ano. Durante todo 2016, foram 100.

Foto: Fabiano do Amaral

– Quando cheguei, o time estava jogando sem um 9 de referência. Esperei a oportunidade, respeitei todo mundo. Renato foi me colocando aos poucos. É importante ter a confiança. Encontrei um lugar no time, e não é que tenho assegurado, mas faço parte de uma equipe que está muito bem. Hoje, estou fazendo, amanhã pode ser Luan, Pedro (Rocha), Miller, Everton. Estou contente pelo momento. A média é importante, mas falei que prometia trabalho. Os gols começam a vir quando você trabalha no campo – comentou Barrios na zona mista da Arena, na noite de quarta-feira.

O atacante consolida também outro dado positivo para a carreira. Aos 32 anos, ele não repetia uma fase tão “goleadora” há cinco temporadas. Depois de balançar as redes 21 vezes em 2010/2011 pelo Borussia Dortmund, teve uma queda de rendimento. Em 2012, pelo time alemão e o chinês Guangzhou Evergrande , fez 12 gols. Em 2013, por Guangzhou e o russo Spartak , foram sete. Em 2014, por Spartak, e o francês Montpellier, novamente 12. Já no Palmeiras, em 2015, foram oito. No ano seguinte, outros quatro e, no início de 2017, marcou o último pelo Verdão, ainda no Paulistão.

“A gente sempre tem treinado, às vezes não dá porque tem jogo a cada três dias. Estamos encaixando mais a cada dia, cada jogador está bem e ajudando o time. O Grêmio está em bom momento, é bom aproveitar. A cada dia estamos mais fortes”. (Barrios)

Junto ao time titular, Barrios terá tempo para descanso até o próximo duelo de mata-mata. Na próxima terça-feira, o Grêmio vai à Argentina enfrentar o Godoy Cruz, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Libertadores. No sábado, os reservas vão a São Paulo enfrentar o Palmeiras, às 16h, pela 11ª rodada do Brasileirão. A maior parte da equipe que goleou o Atlético-PR sequer viaja.



Veja também