Marco Favero / Agencia RBS

Grêmio mandou a campo seus titulares, mas esbarrou em um Santos com alterações em relação aos jogos mais recentes e perdeu por 2 a 1 na estreia do Brasileirão, domingo (28), na Arena. Se para muita gente foi uma surpresa a escalação de Jorge Sampaoli, com três zagueiros, para o técnico Renato Portaluppi não passou por isso a derrota em casa diante do time paulista.

— Sabíamos que eles jogariam com três zagueiros. Se previu exatamente o que tínhamos em mente — destacou.

O que foi preponderante para que o Tricolor não conseguisse os três pontos na primeira rodada do campeonato nacional, no entendimento do treinador, foi a postura inesperada do adversário e o excesso de chances perdidas pelo Grêmio. Foram 24 finalizações dos donos da casa e apenas oito dos visitantes, com uma posse de bola de 60,7% contra 39,3% a favor do time de Renato.

— O Santos nunca tinha jogado dessa forma. Fizemos um partidaço. O time mostrou mais uma vez sua força. Não adianta elogiar só nas vitórias. Fomos surpreendidos porque demos dois moles no primeiro tempo contra uma equipe de qualidade — avaliou, antes de considerar injusto o placar: — Se tivesse que ter um vencedor, teria de ser o Grêmio. Só que eles foram mais letais.

Essa foi a tônica das entrevistas após o jogo. Além de Renato, jogadores e dirigentes também creditaram o resultado negativo às oportunidades desperdiçadas. O zagueiro Kannemann, inclusive, falou em “melhorar alguns pequenos detalhes” para conseguir as vitórias nas próximas partidas.

— Levamos dois gols no primeiro tempo. Depois, o time se doou ao máximo. Criamos situações, a bola não quis entrar — afirmou.

Mas se é que deu para tirar algum ponto positivo da partida de domingo, foi a entrada de Diego Tardelli, que ingressou aos seis minutos do segundo tempo, na vaga de Alisson. Ele mudou a cara do Grêmio, que passou ter mais a bola e chegou com qualidade à frente no segundo tempo. Além dele, Luan também entrou bem. O camisa 7 substituiu Jean Pyerre, que deixou o campo com dores no ombro.

Renato fez questão de elogiar a dupla, tanto por terem aumentado a capacidade ofensiva do time, quanto por serem versáteis e executarem mais de uma função dentro de campo. O técnico lembrou até mesmo que, por vezes, o atacante que veio da China trocou de lado com Everton, confundindo a defesa adversária.

— Luan vem melhorando, entrou bem, com força, e isso é importante. Hoje em dia, ninguém joga no nome, tem de treinar. Tardelli ainda tem de se readaptar ao futebol brasileiro, na parte física e técnica — disse Renato, que complementou: — Não tem titulares, vamos fazendo rodízio, tem espaço para todos. O importante é aproveitar as oportunidades.

Sobre essa questão, o vice-presidente de futebol do clube, Duda Kroeff, garantiu que não há um calendário de jogos em que o Grêmio utilizará o time alternativo. Conforme o dirigente, serão poupados os atletas que estiverem desgastados ou lesionados, com uma análise de jogo a jogo feita pela comissão técnica.

— Nós vamos tentar utilizar o melhor time possível em todos as partidas, analisando cada partida e cada jogador. Vamos tentar jogar com a melhor equipe possível todas as partidas — pontuou.

O dirigente ainda confirmou que o Tricolor pode ter duas baixas importantes na próxima janela de transferências do futebol europeu: Everton e Kannemann. Duda Kroeff ponderou que ainda não há proposta ou sondagem oficial a nenhum atleta gremista. Porém, segundo ele, as prováveis convocações para a Copa América são indicativos de que surgirão interessados.

— Estamos nos preparando para isso. A procura por um zagueiro também tem a ver com isso. Não chegou nada ainda pelo Kannemann, mas a gente sabe que ele vai jogar a Copa América e pode ter uma grande apresentação e chamar atenção. O Everton também não chegou nada, não tem nada concreto, mas é um jogador como os europeus gostam — salientou.

Para a próxima partida, quarta-feira, na Ressacada, contra o Avaí, a tendência é de que Renato escale o que tiver de melhor à disposição. Maicon, que era dúvida para enfrentar o Santos e atuou durante os 90 minutos, pode ser poupado. Além dele, Jean Pyerre, que deixou o campo com dores no ombro, é outro que tem chances de não atuar. Com a necessidade de vencer para se recuperar da derrota em casa na estreia, o resto da equipe deve ser a que jogou no domingo. Até porque, no próximo final de semana, o time deve ser reserva com o Fluminense, já que três dias depois, o Grêmio tem a decisão contra a Universidad Católica, na Arena, que definirá se a equipe avança ou não às oitavas de final da Libertadores.



Veja também