A pandemia do coronavírus até esfria o mercado do futebol, mas não a ponto de dissipar clubes interessados em Everton, do Grêmio. De acordo com o jornal La Stampa, da Itália, o Milan volta a ter Cebolinha no radar, de olho em 2021. A notícia reverbera em solo italiano e foi replicada também por sites como o Calciomercato.it e o milanlive.it.

A publicação elenca, porém, que o valor de uma possível negociação e a divisão dos direitos federativos de Everton entre Grêmio, o empresário Gilmar Veloz, um investidor e o Fortaleza são entraves para a tratativa. No ano passado, o Tricolor pedia 40 milhões de euros por Cebolinha (cerca de R$ 230 milhões pela cotação atual e cerca de R$ 181 milhões na cotação de agosto passado).

Everton Cebolinha, em ação pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Everton Cebolinha, em ação pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Everton está no radar rossonero desde o ano passado. Em agosto, o Milan fez uma proposta de um valor abaixo de 30 milhões de euros por Cebolinha. A boa relação entre o agora ex-dirigente Leonardo e Veloz era um trunfo. Mas a oferta foi recusada pelo Grêmio.

O clube italiano não é o único que mantém o atacante no radar. O Everton, da Inglaterra, e o Borussia Dotrmund, da Alemanha, também fazem contatos frequente com o estafe do jogador.

O técnico Carlo Ancelotti, do Everton, reforçou o interesse já manifestado durante janeiro. Pretende contar com o atacante e esteve próximo disso no início do ano. Já o Borussia Dortmund quer dar passos à frente dos concorrentes mesmo com o mercado totalmente paralisado.

Os alemães retomaram as atividades nesta semana e planejam contar com um aporte de 150 milhões de euros na próxima janela ao realizar negociações do atual elenco. O nome mais valorizado é de Jadon Sancho, que tem conversas com o Manchester United.

Até o momento, não há qualquer proposta por Everton na mesa do Grêmio. No ano passado, o Beijing Guoan, da China, tentou a contratação de Cebolinha por empréstimo com opção de compra. Outros clubes europeus, como Napoli, da Itália, e Atlético de Madrid, da Espanha, também fizeram consultas, mas não avançaram nas tratativas.

Principal jogador do time, Everton tem contrato com o Grêmio até 2023. A multa rescisória para o exterior é de 120 milhões de euros, mais de R$ 680 milhões pela cotação atual.



Veja também