Foto: Lucas Uebel

Enquanto o Grêmio tinha a seu favor larga vantagem sobre o Barcelona-EQU pelo placar construído no primeiro jogo, o Lanús chegava ao intervalo da segunda partida contra o River, na outra semifinal da Libertadores, perdendo por 2 a 1. Em uma reviravolta emocionante, o time do sul de Buenos Aires venceu por 4 a 2 e carimbou a vaga na decisão. O Tricolor perdeu na Arena, mas também levou. Segundo os gaúchos, será uma final sem favorito entre times que guardam semelhanças até no “heroísmo”.

Para o presidente Romildo Bolzan Júnior, o embate entre brasileiros e argentinos perde em “charme” com a ausência do River Plate. Contudo, credita todos os méritos ao Lanús pela forma como conquistou a chance de levantar o troféu da competição pela primeira vez.

– Fica muito claro que são times parecidos, heroicos. Por isso é possível prever um confronto muito parelho. Vamos ter nessa partida o mesmo nível de dificuldade que teríamos com o River. O Lanús venceu por absoluto mérito. Manifestou muito mais vontade de ganhar. Isso abre o sinal vermelho. Vamos fazer um embate dificílimo. A final poderia ser mais charmosa entre River e Grêmio, mas será muito mais disputada entre Lanús e Grêmio – disse o mandatário.

O técnico Renato Gaúcho destacou a rivalidade Brasil x Argentina mais uma vez na decisão da Libertadores. Serão dois confrontos que, segundo ele, vão “pegar fogo”. E nada de favoritismo. Portaluppi deu 50% de chances para cada lado, mas reforça que o adversário também possui defeitos a ser estudados pelo Tricolor.

“Brasil x Argentina. É pegado. Todo jogo é difícil, principalmente se tratando de uma final. Assisti ao Lanús jogar já, vi ontem (terça-feira) novamente, mas, se chegou, tem qualidade. Tem todo nosso respeito, mas pode ter certeza que o Lanús respeita bastante o Grêmio. Tem pontos fortes e fracos da mesma forma que o Grêmio”. (Renato Gaúcho, técnico)

O comandante tricolor também tratou de colocar panos quentes a respeito de uma declaração do técnico do time argentino, Jorge Almirón. Em entrevista ao canal Tyc Sports após a vitória do Grêmio por 3 a 0 sobre o Barcelona, em Guayaquil, ele afirmou que não seria “tão complicado”passar pelos gaúchos na final.

Na noite de terça-feira, depois da classificação diante do River, Almirón foi questionado sobre o motivo da declaração. Ele não a negou, porém, disse que o intuito era motivar seus jogadores e não detratar o clube gaúcho. Renato evitou entrar na polêmica.

– Andei escutando uma entrevista após o jogo de ontem (terça). Ele confirmou algumas palavras, quis falar que não foi bem aquilo. Mas, independente disso, está de parabéns. Conseguiu levar o Lanús a uma final de Libertadores pela primeira vez. Não estou aqui para rebater. Vamos continuar respeitando o Lanús. Quando se chega a uma final, se chega com méritos. O importante é deixar para lá, não responder – concluiu Renato.

Os riveis da decisão, aliás, apresentam trajetórias semelhantes ao longo da competição. Com os mesmos 13 pontos do Grêmio, o Lanús encerrou a fase de grupos com a segunda melhor campanha, somente atrás do Atlético-MG. Nas fases de mata-mata, passou por The Strongest (oitavas), San Lorenzo (quartas) e River Plate (semis).

Final de “heroicos” da Libertadores

Grêmio Lanús
Jogos 12 12
Vitórias 8 7
Empates 2 2
Derrotas 2 3
Gols marcados 22 21
Gols sofridos 8 9
Artilheiro Luan (7 gols) Sand (8 gols)

O primeiro jogo da grande decisão está marcado para 22 de novembro, na Arena, enquanto a final será dia 29, em La Fortaleza. Antes disso, no entanto, o Tricolor pega o Flamengo, domingo, novamente em casa, pela 32ª rodada do Brasileirão.



Veja também