Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Se existia alguma dúvida se Renato Gaúcho escolheria entre Marinho e Walter Montoya para a estreia na Libertadores diante do Rosario Central, o atacante fez questão de despedaçá-la. Na noite desta segunda-feira, a classificação antecipada às quartas de final do Gauchão teve a assinatura do camisa 30. Marinho regeu o time na vitória por 2 a 0 sobre o Veranópolis e de quebra ainda virou o artilheiro do Grêmio na temporada com quatro gols.

No último ensaio antes do torneio continental, o técnico mandou a campo força máxima, em um indício do que pretende utilizar no Gigante de Arroyto. Marinho entendeu o recado e deslanchou. Elétrico, aparecia em todos os cantos da Arena. Pedia bola, aparecia para tabela, tentava arrancadas e dribles.

A dedicação acabou recompensada. Na etapa inicial, Maicon cruzou e Marinho não deu chances a Reynaldo em um mergulho direto à titularidade. Só que ele não estava satisfeito. Seguiu concentrado para construir um placar mais sólido. No segundo tempo, levou sorte. Ao tentar cruzar para Luan, a bola saiu mais fechada e morreu no fundo das redes. Vinte e dois minutos depois, deixou o campo para a entrada de Montoya, ovacionado pelos presentes. Após a partida, extravasou a felicidade com uma brincadeira sobre os gols marcados.

– Como é que não (sorri sem parar)? Não é sempre que faço dois gols, como o Everton, Luan. São só os feras. Glória a Deus por isso! O torcedor reconhece quando o jogador se dedica e cumpre o que o professor pede. A instituição está acima de tudo. A pré-temporada me proporcionou confiança, o Renato tem me dado, desde que comecei a torcida tem abraçado a causa e tudo tem fluído – sorriu Marinho.

O discurso de Marinho remete ao começo oscilante. Contratado no final de junho do ano passado do Changchun Yatai, da China, não conseguiu se firmar. Nas férias, se viu no epicentro de uma polêmica. O atacante aparece em um vídeo no qual fala que, se o Flamengo fizesse uma proposta, aceitaria. O episódio tomou proporções maiores e levou à ira da torcida tricolor. Teve uma reunião com o departamento de futebol e precisou pedir desculpas.

– (Houve) A volta da confiança. (Na conversa, perguntei) Você desaprendeu a jogar? Não. Então você tem minha confiança e jogará. Foi o que falei para ele. Procuro dar todas as condições para o jogador. Não tenha medo de errar. Ganha o torcedor quando jogar. Tem feito muito bem. É importante essa recuperação, um grande investimento do clube, que pedi bastante para a diretoria e eles trouxeram. Tem dado a volta por cima. Ano passado tinha desconfiança do torcedor, mas hoje em dia tem sido bem aplaudido – pondera Renato.

O carinho deu certo. Marinho é o artilheiro do Gauchão com quatro gols, empatado com Rafael Gava, do Caxias, e Marcão, do São Luiz. Deixou para trás os parceiros Luan, Everton e Pepê, todos com três (assim como Juba, do Veranópolis).

Com o retorno de sua intensidade e recuperado, agora busca ajudar o Grêmio no início da caminhada na Libertadores. No dia 6 de março, o time começa a luta pelo tetracampeonato continental diante do Rosario, na Argentina.



Veja também