Luiz Felipe Scolari fez as suas escolhas ao escalar o time do Grêmio para o jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil contra o Flamengo, nesta quarta-feira, às 21h30, na Arena. As predileções de Felipão passam, principalmente, pela utilização de Lucas Silva no meio-campo e uma zaga sem Geromel.

O próprio técnico Felipão já mostrava a confiança elevada que tinha com Lucas Silva – ele foi um dos destaques da vitória sobre o Bahia. Tudo indica que o volante irá para o seu segundo jogo seguido como titular até como forma de dar mais sustentação ao meio contra um rival ofensivo.

O treinador, aliás, também revelou que o próprio jogador teve uma postura proativa e procurou a comissão técnica para entender em que pontos poderia melhorar. E isso tem dado resultado prático.

– Pelo que vejo do Lucas, é um jogador que tem se portado muito bem nos treinamentos, tem solicitado detalhes de como pode melhorar. Nós conversamos, digamos que uma vez por semana, sobre o jogo, o posicionamento que deu certo e errado. Ele tem procurado alternativas de melhora. Tenho tido mais confiança nele, tanto na posição de 5 quanto de 8 – disse Felipão.

Lucas Silva em ação pelo Grêmio na vitória contra o Bahia — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Lucas Silva em ação pelo Grêmio na vitória contra o Bahia — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Isso deve ocorrer mesmo com o retorno de Thiago Santos, que cumpriu suspensão na partida válida pelo Brasileirão. Assim, o paraguaio Villasanti completará a trinca de volantes, ainda que ele e Lucas Silva atuem um poucos mais adiantados que Thiago.

Escalação provável do Grêmio: Chapecó; Vanderson, Rodrigues, Kannemann e Rafinha; Thiago Santos; Douglas Costa, Lucas Silva, Villasanti e Alisson; Borja.

A ideia central de Scolari é reforçar a marcação no meio-campo, local onde a comissão técnica entende que o Flamengo é mais perigoso e de onde partem as jogadas criativas.

É um ato de defesa da equipe, ao mesmo tempo que um contra-ataque possa ser armado por Lucas Silva em passes longos ou na intensidade de Villassanti. Uma alternativa mais ofensiva passa pela entrada de Campaz, reforço que estará no banco.

Zaga sem Geromel

A dupla de zaga ideal do Grêmio seria Geromel e Kannemann. Mas isso tem sido pouco visto em campo. Ambos convivem com problemas físicos há quase duas temporadas e perderam a regularidade juntos como companheiros na defesa.

Para o jogo contra o Bahia, havia expectativa que ambos atuassem. Porém, Geromel sentiu desconforto muscular , ficou fora e também começará no banco contra o Flamengo, justamente por não estar plenamente recuperado. Já Kannemann foi reserva para Ruan e Rodrigues, mas retorna contra o Flamengo.

Kannemann em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Kannemann em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

O argentino se recuperou de uma pancada no joelho esquerdo e não atua desde o dia 20 de julho, quando o Grêmio foi eliminado para a LDU nas oitavas de final da Sul-Americana. Ruan está na Itália e volta apenas na quinta-feira a Porto Alegre, o que diminui as alternativas. Ele foi resolver questões contratuais com a Sassuolo, uma viagem já prevista na negociação finalizada.

Assim, sobraram Rodrigues e Paulo Miranda. O primeiro foi o escolhido por Felipão. Há um entendimento na comissão técnica que Geromel e Kannemann atuando juntos contra o Flamengo, considerando a falta de ritmo de jogo de ambos, cada qual com seu cenário, seria um risco.

Com uma postura cautelosa e sem depositar muita expectativa na Copa do Brasil, o Grêmio reencontra Renato Portaluppi e tenta ir às semifinais. Por enquanto, o foco do clube é sair da zona de rebaixamento no Brasileirão. O jogo de volta ocorre no dia 15 de setembro, data do aniversário tricolor.



Veja também