Foto: Lucas Uebel

O empate em 1 a 1 de uma formação pra lá de reserva do Grêmio contra o Atlético-GO, neste domingo, pela 37ª rodada do Brasileirão, passou quase incólume aos olhos dos gremistas, com foco total na final da Libertadores, contra o Lanús, na próxima quarta-feira. Mas o duelo não deixa de ser especial para Lucas Poletto. O jovem anotou o gol de empate e se emocionou ao realizar o “sonho” de balançar as redes com a camisa do Grêmio primeira vez na carreira.

O atacante de 22 anos saiu do banco no intervalo para completar seu segundo jogo como profissional. E esbanjou oportunismo para marcar, após aproveitar sobra de cabeçada de Rafael Thyere. Na saída de campo, o jogador vibrou com o momento, aos olhos do pai, Paulo Roberto, lateral-direito campeão do mundo pelo Grêmio em 1983 e que hoje é empresário de jogadores.

– Realização de um sonho. Cheguei a me emocionar. Não tem palavras. É um sonho, realmente. Foi um gol de oportunismo, vi a bola sobrar e não pensei duas vezes em botar a cabeça a bola. (O Renato) pede para ter personalidade. O professor Renato passa confiança. Quando a gente entra em campo é fazer o que o professor Renato pede e não ter medo de arriscar – disse.

Poletto ainda afirmou que seu pai dá conselhos antes de cada partida. De acordo com o jovem, Paulo Roberto costuma lhe pedir para “dar a vida” em campo para aproveitar as oportunidades que surgirem.

– Ele fala para eu ter confiança na hora de entrar em campo. É uma oportunidade que vai ter e tem que matar. Ele sempre fala para eu dar meu melhor, dar a vida em campo. O resto vem. Graças a Deus, fui abençoado pelo gol – afirma o jovem.

Euforia do garoto à parte, o zagueiro Bruno Rodrigo, que encerrou a partida como capitão após a saída de Cristian, adotou discurso mais ponderado. O zagueiro reconheceu que o time reserva não teve boa atuação e citou a falha da marcação no gol do Atlético-GO, marcado por Andrigo.

– Uma chegada meio desasatrada sobrou para a finalização deles, entrou bem no cantinho. A gente teve força para buscar na bola parada. É jogo difícil. Uma coisa é mesclar quatro ou cinco jogadores, outra é colocar time completamente diferente. A gente fez o possível, mas infelizmente não deu para sair com a vitória, mas saímos com o empate – destacou.

O Grêmio segue na vice-liderança do Brasileirão, com 62 pontos, mas pode ser ultrapassado pelo Palmeiras, que enfrenta o Botafogo em casa, nesta segunda-feira. O foco, porém, recai ainda mais na final da Libertadores. Tricolor e Lanús decidem o título da América na próxima quarta-feira, às 21h45, no Estádio La Fortaleza – os gremistas precisam de um empate para conquistar o tri. Depois, a equipe encerra o Nacional contra o Atlético-MG, no Independência, no próximo domingo, às 17h.



Veja também