Leonardo Gomes completa neste sábado dois anos sem um jogo oficial pelo Grêmio. Já se passaram mais de 17,5 mil horas sem que o jogador exerça sua profissão. Em todos esses 731 dias, o lateral passou por duas cirurgias no joelho direito. E não há previsão para voltar.

Conforme levantamento feito pelo ge, Leonardo já foi desfalque de 147 jogos do Grêmio desde a sua lesão. Na reta final de 2019, quando rompeu o ligamento do joelho direito contra o Athletico, pela Cop do Brasil, ficou fora de 23 partidas. No ano seguinte, outros 74 duelos perdidos. Na temporada atual, são 50 confrontos de ausência.

O jogador foi contratado pelo Grêmio em janeiro de 2017 depois do destaque pelo Boa Esporte na conquista da Série C do Brasileirão. O atual vínculo se encerra em dezembro de 2022.

 — Foto: Infoesporte

— Foto: Infoesporte

A lesão

O calvário de Leonardo tem seu primeiro capítulo na noite do dia 4 de setembro de 2019. Titular do Grêmio na eliminação para o Athletico-PR nas semifinais da Copa do Brasil, o jogador saiu de maca ainda no primeiro tempo. Aos 14 minutos, disputou uma bola pelo alto e caiu de mau jeito no gramado da Arena da Baixada, torcendo o joelho direito.

A cena melancólica do choro de Leonardo seria apenas uma da noite que culminou com a derrota nos pênaltis e a queda na Copa do Brasil.

Dias depois, o Grêmio comunicou que Leonardo só voltaria em 2020. O lateral havia rompido o ligamento cruzado posterior do joelho direito, ainda sem a divulgação do tempo de recuperação, mas que passaria por uma cirurgia.

A primeira cirurgia

No dia 1º de outubro de 2019, Leonardo realizou a cirurgia para a reconstrução do ligamento. Naquela terça-feira, o jogador do Grêmio cumpriu o procedimento num hospital especializado em lesões de joelho, em São Paulo, com o médico Rene Abdalla.

À época, o prazo médio de recuperação era de oito meses. Portanto, o lateral-direito estaria à disposição do ex-técnico Renato Portaluppi apenas no segundo semestre de 2020.

A segunda cirurgia

Só que sete meses depois, cumprindo todas etapas de recuperação, veio a necessidade de uma segunda cirurgia. Na época, Leonardo relatou desconforto no local para os médicos do clube, que se reuniram numa videoconferência com Abdalla.

Horas após a reunião, o Grêmio divulgou que o jogador passaria por uma nova cirurgia, dessa vez para uma correção de uma fratura patelar no joelho direito.O problema se deu enquanto o atleta se recuperava. E o procedimento foi realizado no dia 21 de maio de 2020.

— A fratura se deu espontaneamente, ao fazer movimento, quando estava forçando já a perna, quase voltando. Foi lá mesmo (no CT), sentiu uma dor. Foi fazer o exame e tinha uma fissura. Aí teve que fixar aquilo para que não houvesse um afastamento entre os dois fragmentos. Foi fixado cirurgicamente, e ele começou a fazer todo processo de recuperação novamente — explica o diretor médico do Grêmio Ciro Simoni ao ge.

Havia uma previsão otimista de que o lateral pudesse retornar em dois meses. Porém, o diagnóstico foi refeito, e o tempo se estendeu para os oito meses anteriores. Ou seja, Leonardo voltou à estaca zero.

A recuperação

Assim, o obstáculo na primeira recuperação fez o jogador dobrar o planejamento para voltar a campo. Mas em dois meses a fratura na patela estava consolidada. Foi necessário, então, retomar os exercícios com a fisioterapia, priorizando o reforço muscular e articulação do joelho direito.

— O termo que se usa é que são intercorrências, são riscos conhecidos. É como qualquer outra cirurgia. Tem seus riscos. É uma coisa que não se quer que aconteça, mas o percentual, mesmo que pequeno, pode ocorrer — afirma Simoni.

Desde a segunda cirurgia, já se passaram um ano e três meses. Nesse meio tempo, Leonardo foi inscrito na Libertadores de 2020, mas não utilizado.

Também foi relacionado por Renato Portaluppi para um jogo contra o Goiás, pelo Brasileirão. A iniciativa partiu do técnico, para que retomasse a convivência com os companheiros. Pessoas próximas ao atleta também afirmaram que o lateral aproveitou para visitar a família em Goiânia.

Leonardo Gomes treina pelo Grêmio em busco de ritmo de jogo — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Leonardo Gomes treina pelo Grêmio em busco de ritmo de jogo — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Os trabalhos com bola começaram em janeiro deste ano, mas de forma gradativa. Há mais de 40 dias, Leonardo já treina normalmente com o time principal do Grêmio, realizando todas atividades propostas pela comissão técnica. Busca apenas readquirir o ritmo de jogo.

Neste processo de retomada, o lateral teve uma distensão muscular recentemente, conforme apurou o ge, mas já está recuperado. O problema foi considerado natural por conta do período longo parado e do processo de retomada de força.

Sendo assim, estima-se que logo o lateral deve ficar à disposição de Luiz Felipe Scolari. Internamente, se debate a possibilidade de Leonardo atuar no time sub-21 na disputa do Brasileirão de Aspirantes.

A cicatriz

As imagens do lateral-direito participando das atividades com bola chamaram a atenção de torcedores nas redes sociais no início de agosto. As duas cicatrizes no joelho do jogador passaram a ser compartilhadas com frequência — e preocupação — por parte dos gremistas.

Imagem das cicatrizes no joelho de Leonardo viralizou na web — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Imagem das cicatrizes no joelho de Leonardo viralizou na web — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O ge apurou que as cicatrizes não são problema e nem preocupam o departamento médico do clube, bem mais acostumado com isso do que o público externo. Trata-se de um queloide, tecido saliente que se forma depois de cirurgias. Não são limitantes e não geram qualquer outra instabilidade ao jogador.

Resta agora a Leonardo Gomes superar o período parado e voltar a exercer sua profissão, embora ainda não seja colocado nenhum prazo para que isso ocorra.



Veja também