Dos seis gols do Grêmio na Libertadores 2019, metade deles veio dos mesmos pés. Everton marcou três: um na estreia, contra o Rosario Central, e os outros dois diante do Libertad, nesta terça-feira, no Paraguai.

Ele deu a vitória que mantém o Tricolor dependendo apenas de si para se classificar às oitavas de final da competição com direito a tirar a defesa adversária para dançar no primeiro gol. O “plano infalível” do Cebolinha, agora, é garantir o time nos mata-matas para ter mais tempo e alcançar Luan na artilharia do clube no torneio sul-americano.

Em sua sexta temporada pelo Grêmio, Everton não para de acumular recordes pessoais. Dos 22 jogos do Tricolor no ano, esteve em campo em 17 e já é o artilheiro da temporada com sete gols. Também é o goleador na competição, com três. Os dois contra o Libertad mostram a frieza do camisa 11.

– Primeiramente feliz pela vitória. Foi uma jogada individual, recebi um passe do Alisson, fui muito feliz nos dois dribles e na conclusão. No segundo levei um pouco de sorte, na bola dividida sobrou para mim, mas fui feliz na finalização também. O professor fala sempre para a gente ter calma dentro da área. Achei que naquele lance era o melhor (dribles) para o momento e deu certo – comentou Everton.

Não para por aí. Os três gols na edição atual somados aos cinco do ano passado e o primeiro, em 2016, deixam Everton com nove gols com a camisa do Grêmio em Libertadores da América. Tornou-se o quarto maior artilheiro do time na competição, atrás apenas de Jardel (15), Luan (12) e Rodrigo Mendes (10). Ao driblar a defesa do Libertad, também deixou para trás Paulo Nunes, Osvaldo e Anderson Lima, com oito.

Artilheiros do Grêmio na Libertadores

  • 15 gols – Jardel
  • 12 gols – Luan
  • 10 gols – Rodrigo Mendes
  • 9 gols – Everton
  • 8 gols – Anderson Lima, Osvaldo e Paulo Nunes

“Largo” para os companheiros

Além da fase de brilho, seguida de convocações para a seleção brasileira, o atacante gremista aproveita-se de uma pitada de sorte. No segundo gol contra o Libertad, Everton avança com a bola, mas a deixa escapar. O defensor deixa o pé “mole” na dividida, o Cebolinha vence o duelo, e o respingo cai em seus pés, cara a cara com o goleiro.

Com um chute potente, que trisca o travessão, sequer dá chance para o experiente Martín Silva reagir. Para os companheiros do elenco, Everton também anda “largo” – na gíria do futebol, vive um momento em que tudo dá certo.

– Cada dia mais, o Cebolinha está confiante e nos ajudando. A gente brinca no termo de “largo”, porque a bola bateu nele e sobrou para frente. Não é à toa que está na Seleção e merece tudo isso – elogia André.

O triunfo no Paraguai levou o Tricolor aos sete pontos e ultrapassou a Universidad Católica na vice-liderança do Grupo H. Mesmo que os chilenos vençam o Rosario Central, nesta quarta, e cheguem aos nove pontos, bastará uma vitória na Arena, na última rodada, para o Grêmio alcançar os mata-matas pelo quarto ano consecutivo.

Everton terá a chance de fazer mais história se classificar o time para as oitavas de final. Para isso, basta uma vitória simples sobre a Universidad Católica, no dia 8 de maio, na Arena. Antes, tem a estreia no Brasileirão, neste domingo, às 11h, contra o Santos, também em casa.



Veja também