Líder e exemplo no Grêmio, Walter Kannemann tem sido uma das principais vozes ativas do grupo do Grêmio desde seu retorno aos gramados. O zagueiro argentino, inclusive, teve uma das suas frases colocadas pelo técnico Roger Machado na parede do vestiário do Tricolor.

Depois vitória sobre o Novorizontino, Roger deixou ainda mais evidente a liderança do argentino. O treinador contou que antes do empate contra o Criciúma, mesmo sem condições físicas de atuar, Kannemann foi ao vestiário, ergueu a moral dos companheiros e foi voz ativa antes do jogo. O papo rendeu uma frase na parede do vestiário gremista.

Não somos cantores, não somos atores, não somos músicos. Somos jogadores de futebol. Somos pagos para correr até morrer e ganhar. — Walter Kannemann, zagueiro do Grêmio

Kannemann em disputa durante treino do Grêmio — Foto: João Victor Teixeira/ge

Kannemann em disputa durante treino do Grêmio — Foto: João Victor Teixeira/ge

A prática é comum por parte da comissão técnica. Mas Roger encontrou na manifestação de Kannemann a deixa perfeita. Tanto que, três partidas depois, a frase em destaque ainda é a mesma, conforme relato do treinador do Grêmio.

– Sempre costumo colocar uma frase motivacional no final do jogo e nos últimos três jogos está lá “por Walter Kannemann”. No jogo contra o Criciúma, ele ainda não estava apto para jogar, mas estava no vestiário incendiando com sua energia. Isso (frase) pra mim resume a energia que ele deposita e que faz com que todo mundo se doe, corra até morrer para ganhar pelo clube que representa – disse Roger.

Mais de cinco meses depois de passar por uma cirurgia no quadril, Kannemann voltou aos gramados com uma naturalidade que faz com que quem o assista esqueça do problema físico recente. A entrega do jogador dentro das quatro linhas e a liderança no vestiário são citados pelo Grêmio como pontos que ajudam o grupo a encarar a Série B.

Recentemente, em entrevista coletiva depois da Recopa Gaúcha, jogo que marcou a volta aos gramados, Kannemann elogiou a postura do jovem Natã. Chamou a atenção, no entanto, que o argentino afirmou que o companheiro não é daqueles que ficam “preocupados com o Instagram”. Mais um exemplo dos posicionamentos do defensor.

– Eu gosto dele porque é um guri centrado, que escuta, fala, sabe escutar. Não é fácil encontrar um guri assim. Quando um guri se doa ao máximo e escuta, fala o necessário, o mais velho fica muito feliz porque ajuda, não é alguém que tem que estar com um controle remoto, falando que tem que se preocupar em campo e não no Instagram – disse Kannemann na época.

Kannemann contagia elenco com postura no dia a dia — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Kannemann contagia elenco com postura no dia a dia — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Roger também valorizou essa postura do argentino. Lembrou que por vezes as cobranças de Kannemann não se esgotam nos jovens e chegam até mesmo na diretoria. Uma entrevista do zagueiro, em 2020, após uma série de demissões no clube, é citada e valorizada com frequência pela torcida.

– Kannemann é identificado com o clube, que tem uma doação muito grande e deposita uma energia no jogo que contagia. É um exemplo dentro do campo para os jovens, sabe bem a hora de dar o carinho e hora de cobrar. Seja internamente ou publicamente, como muitas vezes aconteceu. E às vezes não sobra só para os jogadores, mas também para a direção, como muitas vezes aconteceu. Tudo isso porque ele quer sempre o bem do clube – resumiu Roger.

A cada jogo que passa, Kannemann confirma o acréscimo que o time de Roger tem com a presença do zagueiro. Além da contribuição técnica, o jogador impactou no estado anímico da equipe, que passou por um período conturbado durante o jejum de vitórias.

O argentino é o titular da defesa ao lado de Pedro Geromel e deve estar em campo na segunda-feira, quando o Grêmio tenta entrar no G-4. Se vencer o Sport, na Arena Pernambuco, o Tricolor consegue ingressar na zona de acesso para a Série A. O elenco treina na tarde desta sexta-feira.



Veja também