Depois de o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) impedir que o Grêmio tenha torcida em seus jogos no Campeonato Brasileiro, o Juizado do Torcedor e Grandes Eventos do Ministério Público do Rio Grande do Sul aplicou punição semelhante ao clube e foi além.

Em audiência por videoconferência nesta quarta-feira com representantes de clubes e órgãos de segurança, o juiz Marco Aurélio Martins Xavier decidiu proibir que os tricolores ocupem o espaço de visitante no Gre-Nal de sábado, no Beira-Rio, suspendeu torcidas organizadas e interditou a Arquibancada Norte da Arena.

As medidas são consequência da invasão de campo por parte de torcedores gremistas em seu próprio estádio após a derrota para o Palmeiras, no último domingo, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

– Não tenho dúvidas ao afirmar que os benefícios, limitados à possibilidade de estar no estádio, e assistir ao jogo, não compensam o risco a que pessoas inocentes poderão se ver submetidas. Não é fato que justifique a liberação desse acesso, que só nos prenuncia o agravamento de rivalidades doentias, provocações e grande possibilidade de novos atos de violência – justifica Xavier.

Torcedores do Grêmio invadem o gramado da Arena — Foto: Pedro H. Tesch/AGIF

Torcedores do Grêmio invadem o gramado da Arena — Foto: Pedro H. Tesch/AGIF

A decisão do magistrado impede a participação de todas as torcidas organizadas do Grêmio em dias de jogos pelo prazo de 180 dias. Além disso, definiu a interdição da Arquibancada Norte da Arena, local de onde saíram os torcedores que depredaram a cabine do VAR no fim de semana passado.

As punições ocorrem poucos dias após a própria Justiça revogar a liminar que suspendia quatro organizadas do clube de acessar estádios por conta dos atos de violência em protesto no CT Luiz Carvalho, em setembro. As arquibancadas também haviam sido liberadas pelo governo gaúcho na semana passada.

Punição também no STJD

O presidente do STJD aceitou nesta quarta-feira o pedido de liminar da Procuradoria para que o Grêmio mande seus jogos com portões fechados e não tenha torcida como visitante. A decisão vale até o julgamento do caso sobre a invasão na Arena.

De acordo com Nestor Hein, diretor jurídico, o clube entraria ainda nesta quarta com um pedido de suspeição do presidente do STJD, Otávio Noronha. Segundo o advogado, um processo criminal que Noronha move contra ele em Porto Alegre impediria o despacho do dirigente.

O departamento jurídico do Grêmio também trabalha na apuração dos responsáveis pelos transtornos no jogo contra o Palmeiras. Até o início da noite de terça, o clube identificou 22 torcedores envolvidos no episódio. Mas novos nomes devem ser identificados nos próximos dias.



Veja também