André Ávila / Agencia RBS

Bressan foi alvo das críticas gremistas na eliminação do Grêmio para o River Plate, na Arena, na noite desta terça-feira (30). Apesar de ser responsabilizado pela torcida, o grupo tricolor absolveu o zagueiro de toda a responsabilidade pela derrota dentro de casa, por 2 a 1.

— Tá todo mundo triste, chateado. A gente estava muito perto de um final, de mais uma final, e infelizmente escapou das nossas mãos. Isso faz parte da nossa carreira e o Bressan tem nossa confiança total. Infelizmente aconteceu o lance com ele, ninguém tá ali pra cometer o pênalti. Agora, vida que segue — afirmou o goleiro Marcelo Grohe, em entrevista coletiva na zona mista após a partida.

— O grupo está todo com ele (Bressan), não é só na conta dele. Todo mundo tá junto nessa eliminação — declarou Cícero.

A bronca do grupo tricolor ficou por conta do VAR. Segundo o grupo gremista, o primeiro gol do River Plate, marcado por Borré, foi revisado pelos atletas no vestiário. Para eles, o tento argentino foi irregular.

— Infelizmente tomamos gol de duas bolas paradas. Estávamos olhando (no vestiário) e parece que a bola bateu na mão deles no primeiro gol. O pênalti, pra mim, foi uma infelicidade. O que incomoda é o fato de o primeiro gol não ter sido revisado pelo VAR, é isso que nos incomoda — ressaltou Geromel.

— É difícil explicar, nós conseguimos um grande resultado na Argentina. Infelizmente o VAR veio para ajudar no jogo, tirar as falhas do jogo, e o primeiro gol do River foi de mão. Eles revisaram só para um lado, foi pênalti mesmo, mas o primeiro gol foi com a mão — ficou na bronca Jael.



Veja também