A CBF comunicou na noite da última quinta-feira que pretende iniciar o Brasileirão no dia 9 de agosto. A data, porém, coincide com o dia projetado pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF) para a finalíssima do Gauchão, conforme protocolo entregue ao Governo do Estado. Sem oficializações, a dupla Gre-Nal já elegeu suas prioridades.

Para o presidente do Grêmio Romildo Bolzan Jr, o ideal seria concluir o Campeonato Gaúcho antes das disputas do Brasileirão e da Copa do Brasil.

— Primeiro o Gauchão e depois os Campeonatos Nacionais. Seria o melhor cenário — disse o mandatário ao GloboEsporte.com.

Romildo Bolzan e Marcelo Medeiros no jantar antes do Gre-Nal da Libertadores — Foto: Lucas Bubols/GloboEsporte.com

Romildo Bolzan e Marcelo Medeiros no jantar antes do Gre-Nal da Libertadores — Foto: Lucas Bubols/GloboEsporte.com

Já para o vice-presidente do Inter, João Patrício Herrmann, as projeções de datas são vistas com bons olhos, mesmo que não oficias. A prioridade, na sua visão, será o Brasileirão e a Libertadores.

— São datas propostas. A data da FGF não é final. Estamos felizes com a marcação das datas da CBF e FGF. A FGF e a empresa que detém os direitos serão flexíveis com a data sobreposta. A prioridade será do Brasileiro e da Libertadores. Nada impede de jogar sábado o gaúcho e terça o brasileiro e vice-versa — disse.

Até o momento da publicação desta matéria a FGF não atendeu o GloboEsporte.com. A Federação aguarda uma manifestação do Governado do Estado para essa sexta-feira, a respeito do protocolo entregue. Não há oficialização da retomada do campeonato por enquanto.

Secretário de Esportes, Francisco Vargas, com o presidente Marcelo Medeiros e o vice João Patrício Herrmann — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, Inter

Secretário de Esportes, Francisco Vargas, com o presidente Marcelo Medeiros e o vice João Patrício Herrmann — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, Inter

A CBF marcará as 38 rodadas do Brasileiro e também as partidas da Copa do Brasil – serão dois jogos por semana, exceção ao espaço das datas Fifas, previstas para voltarem em setembro.

Os clubes deliberaram ainda sobre o mando de campo. Como nem todos clubes podem conseguir autorização de prefeitura para liberar partidas, foi discutida a transferência de jogos para outras cidades, que tenham liberação de realizarem eventos esportivos.

Os jogos estão previstos sem público. Neste item, apenas o Athletico-PR votou contra. O clube paranaense está momentaneamente proibido de treinar na capital do estado.



Veja também