Em um 25 de maio como nesta segunda-feira, Maicon viu seu nome aparecer pela primeira vez em uma lista da seleção brasileira. Há exatos dois anos, o volante do Grêmio figurava em uma relação de 12 nomes de suplentes convocados por Tite para a Copa do Mundo de 2018.

Como se sabe, a convocação não chegou a virar realidade. O Capita gremista não disputou o Mundial na Rússia. Mas a simples lembrança de seu nome pelo treinador já é motivo de orgulho até hoje para Maicon.

À época, o jogador tinha 33 anos e nunca havia sido convocado sequer para seleções de base. A recordação da data desperta orgulho para Maicon, dois anos mais tarde.

– Lembro que fiquei muito feliz, pois não havia sido convocado nem na base. Foi muito gratificante ser lembrado para uma Copa do Mundo com quase 33 anos de idade. Aquilo foi um fator que me motivou a melhorar a cada dia e agradeço sempre ao Grêmio, meus companheiros e direção pelo apoio e ajuda no meu trabalho diário – afirma, via assessoria de imprensa.

Maicon mantém atividades durante pandemia no CT do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio GFPA

Maicon mantém atividades durante pandemia no CT do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio GFPA

Além de Maicon, Luan – que hoje defende o Corinthians – apareceu como suplente na lista de Tite. Os 12 atletas além dos 23 oficiais só disputariam a Copa em caso de corte na relação principal. Pedro Geromel foi quem representou o Grêmio na Rússia com a camisa da Seleção.

Maicon estava nos planos da comissão técnica da Seleção desde 2017, mas as lesões impediram uma convocação do capitão do Grêmio. No início de 2018, voltou ao radar de Tite. Suas características eram vistas com bons olhos pelo técnico da Seleção.

No Tricolor desde 2015, Maicon completou recentemente cinco anos de clube. Ele soma 203 jogos, com 11 gols marcados. Foi capitão no penta da Copa do Brasil em 2016 e conquistou ainda a Libertadores de 2017, a Recopa Sul-Americana de 2018, além de dois Campeonatos Gaúchos, em 2018 e 2019.



Veja também