Foto: Marcelo Cortes

No dia do aniversário de 118 anos, o Grêmio tinha uma missão praticamente impossível. O presente não veio, na noite desta quarta-feira, com direito a volta do público no Maracanã, e o que aconteceu foi o esperado. O Flamengo voltou a vencer o Tricolor, desta vez por 2 a 0, no jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil. Com o resultado, o Tricolor está eliminado da competição. 

Pedro, vindo do banco, anotou duas vezes. Primeiro, de pênalti. Depois, com o Grêmio já entregue, aproveitou rebote de bola na trave e definiu o placar. 

O Flamengo enfrenta o Athletico-PR na semifinal da Copa do Brasil. Já o Grêmio concentra todas as suas atenções para fugir do rebaixamento. Caso a rodada do fim de semana seja realizada, o Tricolor enfrenta novamente a equipe carioca, no Maracanã, no domingo, às 20h30min, em jogo válido pela 21ª rodada do Brasileirão.

Primeiro tempo brigado e de pouco futebol

Com uma missão praticamente impossível e com foco em sair da zona do rebaixamento do Brasileirão, o Grêmio entrou em campo com uma equipe bastante modificada. O goleiro Brenno voltou ao time, e Rafinha ocupou a sua posição de origem. Na volância, dois garotos acompanharam Villasanti: Matheus Sarará e Fernando Henrique. Jonatha Robert e Léo Pereira foram os escolhidos para municiar Borja.

Sem muito a perder, com a enorme desvantagem do placar agregado, o Grêmio se lançou ao ataque. O centroavante Borja era o mais lúcido do setor ofensivo, se movimentando e saindo da área. Pela direita, Léo Pereira também foi acionado. No entanto, nas vezes em que progrediu, errou passes importantes, atrapalhando as jogadas mais agudas.

Muito por conta da vantagem, o Flamengo não fazia questão de acelerar o jogo. Everton Ribeiro até tentou pelo meio, mas sofreu com a marcação. O Grêmio, por outro lado, pouco agrediu, e o único destaque ofensivo foi o conronto entre Borja e Rodrigo Caio, que se estranharam durante boa parte do primeiro tempo.

A melhor chance da etapa inicial foi pelo lado do Flamengo, que melhorou nos minutos finais. Aos 41, Michael tirou Rafinha para dançar dentro da área, limpando de um lado para o outro. Quando clareou, bateu cruzado, rasteiro, e Kannemann salvou praticamente em cima da linha, garantindo o placar em 0 a 0 ao intervalo.

Pedro sai do banco e garante vitória 

O confronto voltou do intervalo muito parecido com os 45 minutos iniciais. Muitas faltas duras, marcação acirrada de parte a parte, e pouco futebol. Renato foi o primeiro a mexer no segundo tempo, com a entrada do centroavante Pedro no lugar do caçado Gabriel Barbosa, que sofreu com as entradas de Kannemann.

Já a primeira troca de Felipão acabou sendo forçada. O garoto Matheus Sarará sentiu cãimbras, e precisou ser substituído por Lucas Silva. Depois, outra troca por lesão. Mais uma vez lesionado, Paulo Miranda deixou o campo para a entrada de Rodrigues no setor defensivo, ao lado de Kannemann. 

Aos 29 minutos, Pedro recebeu cruzamento de Everton Ribeiro, dominou bonito no peito e fez o movimento para uma bicicleta, deixando de anotar um golaço por pouco. O VAR, no entanto, viu toque de mão de Rodrigues no lance, e o árbitro assinalou pênalti. O próprio Pedro bateu e fez 1 a 0 para o rubro-negro no Maracanã.

Com larga vantagem no placar agregado, restou ao Flamengo administrar e esperar o apito final, com direito ainda a mais um gol de Pedro, aproveitando rebote de bola no pé da trave de Brenno. Para o Tricolor, sobra o Campeonato Brasileiro, que reserva mais um encontro com os cariocas, no fim de semana, na esperança de um resultado diferente.



Veja também