A manhã desta sexta-feira será de mais um treino para o elenco do Grêmio no CT Luiz Carvalho. Uma rotina ainda pouco usual para o técnico Luiz Felipe em seu retorno ao clube. Ele completa a primeira semana de trabalho, na qual pouco pode colocar na prática o que pretende para o time. Mas conversou — e muito — com os jogadores.

As reuniões, no entanto, não necessariamente significam estar com todo o grupo ao mesmo tempo. O relato é de que Felipão procura constantemente os atletas de maneira individual no dia a dia, sejam jovens ou mais experientes. Isso tem sido bem recebido pelos jogadores.

Conforme apurou o ge, a receptividade com o treinador tem sido grande. A ponto de um membro da diretoria afirma que “é o Grêmio virando Grêmio”. A bagagem do comandante e o fato de ter trabalhado com Geromel e Maicon, duas lideranças do elenco, também pesam na balança a seu favor.

A comparação inevitável com o trabalho anterior de Tiago Nunes tem nesta situação uma diferença relevante. Não havia esse tipo de situação tão constantemente, de acordo com relatos colhidos pelo ge.

Felipão conversa com o elenco do Grêmio na sua apresentação — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Felipão conversa com o elenco do Grêmio na sua apresentação — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Felipão, com sua experiência, também teve como prioridade distensionar o ambiente. Evidente que isso só ocorrerá após uma série de resultados. Mas o treinador agiu neste sentido nos primeiros passos, e as conversas faziam parte deste cenário: aumentar a confiança dos atletas.

Ao mesmo tempo, conseguiu em campo mostrar uma atitude diferente. Contra a LDU, o Grêmio teve uma estratégia mais defensiva, se posicionou recuado e apostou em contra-ataques. Assim encerrou o jejum de nove partidas. Antes, havia empatado o clássico Gre-Nal na Arena.

— Temos que fazer a diferença no sábado (contra o Fluminense) também. Foi importante vencer, mas o mais importante é ter um grupo com uma mentalidade que supera algumas dificuldades que estamos passando e que são grandes no momento. Foi muito bom o resultado, mas temos um longo caminho para conseguirmos alguma coisa — comentou Felipão após a partida com a LDU.

Pouco tempo em campo

A sexta-feira passada foi da primeira atividade comandada por Felipão. A única antes do Gre-Nal disputado no dia seguinte, a estreia do técnico na quarta passagem pelo Grêmio.

Não houve, naquela oportunidade, indicação de time. No domingo pela manhã, o treinador teve outro treino, mas sem a presença de grande parte dos titulares.

Geromel e Felipão em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Geromel e Felipão em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Depois, na segunda, aí sim mais uma atividade com todos os jogadores disponíveis e relacionados. Embora também fosse véspera de jogo e isso signifique uma carga menor no trabalho.

Na volta do Equador, na quarta, houve treino apenas para quem não atuou na vitória sobre a LDU. Nesta quinta, sim, um trabalho com o grupo.

E chegamos a esta sexta, quando Felipão deve ter maior parte do elenco disponível e fazer uma atividade tática para o duelo com o Fluminense, neste sábado.

São, portanto, três atividades com o grupo: a última sexta, a segunda e a quinta. Felipão precisará administrar o tempo que não tem para desatolar o Grêmio da lanterna do Brasileirão.

Com três pontos conquistados, o time gaúcho busca a primeira vitória na competição neste sábado, no Maracanã. A partida contra o Fluminense está marcada para as 21h.



Veja também