Foto: Lucas Uebel

O Grêmio voltou do Paraná com a missão cumprida. Mesmo em noite de pouco futebol, o time de Roger Machado soube enfrentar jogo com cara de Série B para vencer o Operário-PR por 1 a 0 e somar três pontos importantes. Após dificuldades de um primeiro tempo de pouca inspiração, a entrada de Elias, que fez o gol da vitória, mudou o jogo para o Tricolor.

O atacante participou ativamente de dois lances em sequência. No primeiro abriu espaço para Diego Souza, que tentou cavar pênalti. Na segunda participação, completou o cruzamento de Biel para marcar o gol da vitória. Resultado que colocou o Tricolor no G-4 da Série B (pode ser ultrapassado por Ponte Preta e Criciúma no complemento da rodada) e que encerrou invencibilidade de seis meses do Operário dentro de casa.

A atmosfera de decisão que se criou com as comemorações planejadas pelo Operário e a presença da torcida lotando os espaços no estádio, não contaminou os jogadores dentro de campo. O ritmo por boa parte do primeiro tempo foi mais picotado pela força dos marcadores do que ditado pela busca dos gols.

As primeiras finalizações da partida aconteceram em lances semelhantes. Após cobrança de escanteio, Bitello e Campaz ameaçaram em chutes de longa distância. O jovem volante mandou a bola por cima do gol, mas o colombiano forçou Vanderlei a fazer boa defesa aos 10 minutos.

Com os dois times dedicados na marcação, a bola passou o primeiro tempo toda indo de uma intermediária a outra, mas sem a criação de lances que poderiam resultar em finalização. A melhor chance de toda a primeira etapa veio aos 27 minutos. Lucas Silva fez o levantamento para a área buscando Diego Souza, que venceu seus marcadores e escorou a bola. Biel e Rodrigo Ferreira se atrapalharam , mas o lateral ainda conseguiu finalizar a bola. Vanderlei foi vencido, mas a perna direita do zagueiro Reniê evitou o gol da vantagem gremista.

A oportunidade de gol devolveu um pouco do controle das ações da partida ao Grêmio. Mas a equipe de Roger Machado não conseguia ultrapassar a linha de marcação que o Operário formou em frente da sua área. O único momento de perigo para o time dono da casa nasceu da dificuldade da defesa gremista em afastar uma cobrança de escanteio da área. Um primeiro tempo sem muitas emoções para o torcedor que acompanhou a partida.

— O jogo está abaixo tecnicamente, está um jogo mais brigado. O gramado deixa a bola viva e não tem como acelerar de primeira. Temos a consciência de que precisamos melhorar para fazer o gol e sair com a vitória — comentou Bruno Alves na saída para o vestiário.

Elias foi o escolhido por Roger Machado para dar mais força ao ataque gremista na volta para a segunda etapa. E a opção quase deu certo logo no primeiro minuto de jogo. Após arrancada de Biel pela esquerda, o jovem gremista puxou a marcação e deixou Diego Souza livre. O centroavante driblou Vanderlei e se atirou. Inicialmente o árbitro marcou o pênalti, mas reverteu a marcação ao conferir o VAR.

Na sequência, com 7 minutos, Elias esteve envolvido em outro lance com intervenção da arbitragem. Biel recebeu belo lançamento de Lucas Silva nas costas do lateral e cruzou rasteiro para Elias finalizar ao gol. A arbitragem sinalizou inicialmente que Gabriel Teixeira estaria adiantado na origem do lance, mas voltou atrás após revisão do VAR. Reniê, que salvou o gol no primeiro tempo, deu condições para a jogada.

O gol gremista alterou os papéis da partida. O Grêmio recuou um pouco suas linhas e deixou que o Operário se lançasse em busca do gol, mas com a marcação bem postada e deixando apenas a opção do chute de fora da área como alternativa. Marcelo e Fernando arriscaram, mas sem forçar intervenção de Brenno.

Em um dos contra-ataques gremistas, Janderson arrancou pela direita e rolou para Bitello. Diego Souza se apresentou como opção na área, mas o jovem gremista preferiu arriscar o chute e mandou a bola direto pela linha de fundo aos 32 minutos.

Para segurar o resultado, Roger lançou mão de Sarará e Benítez como alternativas para tentar reter a bola. Um resultado importante para recuperar os pontos perdidos contra a Chapecoense na Arena.

Fonte: ZH



Veja também