Fora da briga pelo título, o Grêmio ainda tinha um resquício de orgulho no Brasileirão: era dono da melhor defesa. Porém, o Tricolor viu seu status desabar ao sofrer 10 gols nas últimas quatro rodadas.

Não bastasse a defesa mais exposta, o Grêmio está há sete jogos sem vencer – é o maior jejum sob o comando do técnico Renato Portaluppi. Na quarta passada, empatou em 3 a 3 com o Santos, a 17ª igualdade na competição.

O Grêmio agora é o quarto time menos vazado no Campeonato Brasileiro, com 35 gols concedidos, ao lado do Fortaleza. Está atrás de Palmeiras, que sofreu 32, Inter e Athletico, estes com 31.

O número de gols sofridos aumentou com a sequência recente de duas derrotas e dois empates. Primeiro, perdeu de virada por 2 a 1 no Gre-Nal, vazado nos acréscimos. Depois, na goleada sofrida por 4 a 2 para o Flamengo, levou quatro na etapa final.

Rodrigues e Kannemann na partida contra o Santos — Foto: Estadão Conteúdo

Rodrigues e Kannemann na partida contra o Santos — Foto: Estadão Conteúdo

Na sequência veio o 1 a 1 diante do Coritiba, um jogo que até poderia ter vencido, já Jean Pyerre desperdiçou pênalti aos 44 do segundo tempo

Por fim, novo empate, dessa vez com o Santos. Era uma vitória por 3 a 1 construída até os 20 minutos do segundo tempo. Ruiu para o 3 a 3 nos acréscimos.

Ao analisar os 10 gols sofridos, uma estatística chama atenção: nove ocorreram no segundo tempo. Há também o fator pênalti: quatro foram originados de penalidades concedidas pelo Grêmio.

> Os últimos 10 gols sofridos pelo Grêmio:

  • No primeiro tempo: 1 gol (aos 7 minutos).
  • No segundo tempo: 9 gols (aos 11 minutos, 14, 20, 21, 27, 44, 47, 50, e 52).
  • Como saíram: 1 gol de cabeça, 3 gols de pé esquerdo e 6 gols de pé direito.
  • Local de origem: 2 gols na pequena área, 3 na grande área, 1 de fora da área e 4 de pênalti.

Mas, caro leitor, não pense que tais estatísticas passam despercebidas dentro do clube. O próprio técnico Renato admitiu, em entrevista após o empate com o Santos, que esse é um ponto a melhorar.

– A gente tem sofrido alguns gols, principalmente no segundo tempo, exatamente por isso: está faltando foco e malandragem. A bola não pode chegar próximo à nossa área no final. Segura lá na frente, cava uma falta, lateral. Esse tema precisamos melhorar. Aí podemos evitar muitos gols que tomamos no final do jogo – disse o treinador.

O time poderá mostrar que evoluiu já na próxima segunda-feira, quando enfrenta o Botafogo pela 35ª rodada do Brasileirão. A partida será no Nilton Santos, às 20h. O elenco treina no CT Luiz Carvalho nesta sexta e no sábado, quando viaja para o Rio de Janeiro.



Veja também