Reprodução

O Grêmio saiu desgostoso com a arbitragem de Jonathan Pinheiro no empate sem gols contra o Brasil de Pelotas, neste domingo, no Bento Freitas. Para a direção tricolor, o árbitro se mostrou “nervoso” e falhou em lances capitais.

Para o diretor de futebol Alberto Guerra, o árbitro falhou em dois momentos. O dirigente reclamou uma falta em cima de Kannemann dentro da área no primeiro tempo, o que resultaria em pênalti, e da expulsão de Juninho Capixaba.

– Deu para ver que (o árbitro) estava nervoso. No geral ele foi bem, mas no lances capitais, acho que errou feio. Foi o pênalti. No lance da confusão, ele também tentou administrar. Quem merecia o amarelo era o Leandro Leite e o Jean Pyerre. Isso significaria a expulsão do Leandro Leite. Ele deu cartão para outros dois. Na expulsão do Juninho achei um exagero. Ele tentou sair do carrinho. Se pega, seria uma falta muito violenta – analisa Guerra.

As polêmicas

Logo no começo da partida, o zagueiro gremista foi segurado por Leandro Camilo dentro da área, após cobrança de escanteio. Mas o juiz mandou o lance seguir.

– Acho que foi (pênalti), eu quero arrancar e ele me segura com os dois braços. Mas é briga na área, acontece – afirmou o zagueiro argentino.

Já aos 34 minutos do segundo tempo, Juninho Capixaba caiu no gramado após uma disputa com Branquinho no meio-campo. O lateral gremista recebeu o segundo cartão amarelo do árbitro e foi expulso de campo por simulação. O jogador já tinha cartão por conta de uma confusão na etapa inicial, com troca de empurrões entre Leandro Leite e Jean Pyerre.

Mesmo com o empate, o Grêmio manteve a liderança do Campeonato Gaúcho, com 17 pontos. O time ganha folga nesta segunda-feira e se reapresenta na terça, com uma uma semana cheia para trabalhos antes do próximo compromisso pelo estadual, dia 25, contra o Veranópolis, na Arena.



Veja também