Foto: Jhony Pinho/AGIF

Contratado para ser titular incontestável do Grêmio em 2021, Thiago Santos tem sido criticado pelas recentes atuações. A direção tenta respaldar o meio-campista publicamente, mas a saída do atleta do time titular não é descartada para a colocação de jovens no setor, principalmente após o desempenho na derrota para o Mirassol, no interior paulista, que culminou na eliminação da Copa do Brasil.

Desde quando foi contratado, em março de 2021, o atleta realizou 46 partidas pelo Tricolor, sendo 41 no último ano e cinco na atual temporada. Com o camisa 5 gremista, o time teve 21 vitórias, 9 empates e 16 derrotas.

Internamente, ele é apontado como peça importante para a sustentação defensiva. Porém, no recorte, a média de gols sofridos com o jogador é de 1,3 por partida. No total, o Grêmio sofreu 60 gols.

Segundo Sérgio Vazques, diretor de futebol gremista, Thiago Santos é o escolhido da vez para ser alvo das críticas. Anteriormente, outros profissionais tiveram o seu rendimento questionado pelos torcedores e imprensa.

— É o Cristo da vez — resumiu Vazques.

Em paralelo, Roger Machado considerará para os próximos compromissos alterações na equipe. O treinador já voltou a relacionar Fernando Henrique, que sobrou da lista no Gre-Nal adiado do último sábado (25), para a vaga de Villasanti, que assim que estiver disponível pode ganhar a posição. Victor Bobsin e Sarará são outros que têm chances de aproveitamento na vaga, além do experiente Lucas Silva, utilizado nos minutos finais na eliminação da Copa do Brasil.

A delegação retorna de São José do Rio Preto, local que serviu de sede para o duelo pelo torneio nacional, nas próximas horas desta quarta (2). A partir desta quinta (3), a comissão técnica esboçará a formação para enfrentar dois jogos como visitante: o Novo Hamburgo, no sábado (5), e o Gre-Nal 435, na quarta (9), no Beira-Rio.



Veja também