O empate do Grêmio diante do Criciúma na Arena gerou cobranças ao time de Roger Machado. Após a partida de quinta-feira, o treinador assumiu que a mescla entre experiência e juventude do elenco torna momentos de nervosismo mais difíceis de lidar. A formação que iniciou a partida tinha média de idade de 27,6 anos. Após as cinco substituições feitas no segundo tempo, baixou para 24,7.

– Temos um elenco jovem. Com qualidade, mas jovem. Jogadores experientes aguentam o processo e o momento que estamos vivendo. O erro técnico e a tomada de decisão gera ansiedade e perda de confiança no jogador mais experiente, mas pela vivência ele consegue readquirir confiança dentro do jogo – comparou Roger.

Entre os 11 que começaram o duelo pela 8ª rodada da Série B, os mais novos eram Bitello e Biel, com 22 e 21 anos, respectivamente. Quatro jogadores (Brenno, Rodrigues, Nicolas e Villasanti) estão na faixa de 23 a 25 anos.

Por outro lado, a dupla de zaga reunia Geromel, de 36, e Bruno Alves, de 31, enquanto no comando de ataque os centroavantes Elkeson (32) e Diego Souza (36) também carregam vasta experiência.

Sarará foi um dos mais jovens do Grêmio contra o Criciúma — Foto: Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio

Sarará foi um dos mais jovens do Grêmio contra o Criciúma — Foto: Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio

Na etapa final, o Grêmio mudou bastante de figura, ao menos na idade dos atletas. Dos cinco que ingressaram do banco de reservas, o mais “velho” foi Campaz, de 21 anos. Elias e Fernando Henrique têm 20. O volante, aliás, atuou pela primeira vez na Série B.

Os outros dois jogadores chamados por Roger para tentar mudar o panorama da partida são ainda mais garotos. Gabriel Silva e Sarará têm 19 anos. Este último, volante de origem, foi improvisado mais uma vez como lateral-direito.

Vale lembrar que o treinador tinha duas opções mais “cascudas” entre os suplentes. Thiago Santos, de 32 anos, e Benítez, de 27, foram novamente preteridos pelo comandante gremista.Os jogadores vão amadurecer dentro do processo. Isso pode acarretar essas instabilidades. Não vejo falta de qualidade, vejo jogadores jovens com pouca experiência.— Roger Machado

Grêmio contra o Criciúma

  • Brenno – 23 anos
  • Rodrigues – 24 anos (Sarará – 19 anos)
  • Geromel – 36 anos
  • Bruno Alves – 31 anos
  • Nicolas – 25 anos
  • Villasanti – 25 anos (Fernando Henrique – 20 anos)
  • Lucas Silva – 29 anos (Campaz – 21 anos)
  • Bitello – 22 anos
  • Biel – 21 anos (Gabriel Silva – 19 anos)
  • Elkeson – 32 anos (Elias – 20 anos)
  • Diego Souza – 36 anos
  • Média de idade do time titular: 27,6 anos
  • Média de idade do time que terminou o jogo: 24,7 anos

Reforços mais experientes

O Grêmio está há três jogos sem vencer na Série B. Perdeu a liderança, saiu do G-4 e agora se encontra na sexta colocação, a dois pontos do grupo que sobe para a primeira divisão.

Apesar de aguardar os movimentos da direção para a janela de transferências de julho, Roger saudou a possibilidade de receber novos nomes no elenco, mas também reforça a necessidade de passar tranquilidade aos meninos.

– Pode ser que esses jogadores mais jovens vão adquirindo experiência na competição. Mas o Grêmio está sempre aberto para reforçar seu elenco. Este início tem irregularidade, mas estamos buscando o melhor momento de cada um – destacou.

Thaciano pode reforçar o Grêmio em julho — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Thaciano pode reforçar o Grêmio em julho — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A janela de transferências do meio do ano se inicia no dia 18 de julho, quando os clubes estão aptos a registrar novos atletas. O Tricolor tem encaminhados os retornos de Thaciano, emprestado ao futebol turco, e Guilherme, revelação do clube que está no futebol árabe.

Dentro do elenco, a proximidade maior é pelo retorno de jogadores que se recuperam de lesão. Edílson, de 35 anos, e Kannemann, de 31, treinaram com bola no sábado e podem ficar à disposição contra o Glória na disputa da Recopa Gaúcha, na terça-feira.



Veja também