Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG

A noite desta quinta-feira coloca frente a frente outra vez Grêmio e Fluminense. A equipe de Renato Portaluppi repete os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil a partir das 21h, no Maracanã, com uma peculiaridade: o time considerado titular não perdeu ainda para equipes do Rio de Janeiro em 2017.

E não foram poucos jogos. Até o momento, os gaúchos enfrentaram Botafogo e Vasco no Brasileirão, além dos dois compromissos da Copa do Brasil. Na estreia do nacional, aplicou 2 a 0 sobre o Botafogo, na Arena. Na semana seguinte, fez 3 a 1 no Fluminense no primeiro jogo das oitavas de final do mata-mata. A partida da volta ocorreu dia 31 de maio, vencida novamente pelos gremistas por 2 a 0. Três dias depois, nova vitória, agora sobre o Vasco, por 2 a 0, pelo Campeonato Brasileiro.

No entanto, há um asterisco neste retrospecto positivo diante dos clubes do Rio de Janeiro. No dia 8 de fevereiro, o Tricolor foi derrotado por 2 a 0 para o Flamengo, pela Primeira Liga, em Brasília. À época, todavia, Renato Gaúcho mandou a campo uma equipe considerada reserva. Daquela escalação, somente Bolaños era titular. A coincidência é que havia também jogadores hoje integrantes do 11 inicial: Léo Moura, Bruno Cortez, Michel e Arthur.

No total, são nove gols marcados e três sofridos contra os clubes do Rio. O Grêmio só não pode receber a alcunha de “campeão carioca” justamente por causa Fla, que é o responsável por levantar a taça do estadual neste ano e será adversário tricolor pelo Brasileirão somente em 13 de julho, na 13ª rodada.

– Sabemos que (o Fluminense) é uma equipe de qualidade, já enfrentamos neste ano. Sabemos das dificuldades que podem nos causar. E eles sabem o que podemos fazer. Vai ser um confronto muito pegado, como foram os dois últimos. Não tem jogo fácil. Todos temos que encarar como decisão, somar o máximo de pontos possível, que lá na frente vamos precisar desta vantagem – comentou o volante Arthur.

A situação atual é completamente inversa à do ano passado, quando o Grêmio sofreu contra os cariocas. No último jogo do Brasileirão, perdeu na Arena para o Botafogo por 1 a 0. Antes, na 26ª rodada, perdera em casa para o Fluminense por 1 a 0. Em Brasília, foi derrotado por 2 a 1 para o Flamengo na 21ª rodada. Em duelo atrasado da 19ª rodada, levou 2 a 1 do Bota. No Maracanã, empatou com o Flu em 1 a 1 pela sétima rodada. Por fim, venceu apenas o Fla na segunda rodada, por 1 a 0, na Arena.

Superioridade na Copa do Brasil

O tira-teima entre Grêmio e Fluminense nesta noite tem origem no confronto pelas oitavas de final da Copa do Brasil deste ano, no qual os gaúchos se deram melhor nas duas partidas. No dia 17 de maio, na Arena, o time de Abel Braga até saiu na frente com gol de Renato Chaves. Mas os comandados por Renato Gaúcho viraram para 3 a 1, com direito a dois tentos de Barrios, o carrasco do Flu.

Na véspera do jogo de volta, em 31 de maio, no Maracanã, o atacante Richarlison tratou de colocar pimenta nos ânimos ao afirmar que o Grêmio “batia muito”. Ramiro retrucou ao lembrar que o Fluminense havia feito o dobro de faltas na primeira partida. Ironia do destino, o zagueiro Nogueira foi expulso logo aos quatro minutos por acertar um carrinho por trás em Luan. Aí a vida dos gaúchos foi facilitada, e eles venceram por 2 a 0, passando às quartas de final.

Para o enfrentamento desta quinta, Renato Gaúcho irá repetir a mesma equipe que fez 1 a 0 no Bahia, na segunda-feira. O desafio será melhorar a mecânica de jogo com quatro jogadores considerados volantes, mas que fazem funções diferentes: Michel, Maicon, Arthur e Ramiro. Com isso, Luan retorna ao posicionamento de falso nove enquanto Barrios segue lesionado.



Veja também