Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Pouco mais de três anos e meio depois, o grupo do Grêmio tricampeão da Libertadores não existe mais. Na segunda-feira (30), o volante Maicon, uma das peças daquele elenco, anunciou sua rescisão contratual com o clube. Foi o fim de uma relação que durou mais de seis anos e sete temporadas. Sem o “Capita”, apenas quatro tricampeões ainda seguem na Arena.

Maicon, é verdade, não foi figura tão importante assim na reconquista da América. Ao menos não dentro de campo. Com uma lesão no tendão de Aquiles, o camisa 8 só participou de duas partidas, ainda pela fase de grupos. Mas era um dos líderes do vestiário, afinal, havia sido o capitão no pentacampeonato da Copa do Brasil, um ano antes.

Antes do meio-campista, o último a deixar o clube foi Renato Portaluppi, em abril. A exemplo do jogador, ele encerrou um longo ciclo junto ao clube — foram quase cinco anos, tornando-se por muito tempo o técnico mais longevo do futebol brasileiro. 

Os tricampeões que seguem no Grêmio

Geromel
O capitão do tri permanece no clube. Geromel, aliás, é o jogador há mais tempo no Tricolor. Contratado no final de 2013, estreou em 2014, mesmo ano em que assumiu a titularidade. No início deste ano, renovou seu contrato até dezembro de 2022 e avisou que pretende se aposentar em Porto Alegre. Já disputou mais de 300 jogos pela equipe.

Kannemann
Quem também segue é o argentino Walter Kannemann. Assim como seu parceiro de zaga, ele também tem vínculo se encerrando apenas no final de 2022. E, também a exemplo de Geromel, tem sofrido com lesões nas últimas temporadas. Chegou ao clube na metade de 2016 e já soma 210 partidas. 

Bruno Cortez
Titular do tricampeonato, Cortez perdeu a titularidade em 2020, com a chegada de Diogo Barbosa. Chegou a recuperar espaço neste ano, mas hoje é reserva do destro Rafinha – assim como Barbosa. Com o tempo, tornou-se uma das vozes do vestiário, mesmo sofrendo sempre com as cobranças da torcida. Seu contrato com os gaúchos termina ao final deste ano. Jogou 217 vezes com a camisa tricolor. 

Léo Gomes
O lateral-direito buscado no Boa Esporte jogou apenas 10 minutos na campanha do título, na goleada de 4 a 0 sobre o Zamora. Ainda assim, é um dos remanescentes e tem contrato até o final de 2022. O problema é que não atua desde setembro de 2019, quando sofreu grave lesão nos ligamentos do joelho direito. Nos próximos dias, completa dois anos fora do time. Entre 2017 e a lesão, atuou em 74 oportunidades. 

Michel (emprestado)
Titular em boa parte de 2017, Michel também tem vínculo com o Tricolor até dezembro de 2022. O volante, no entanto, não atua no clube desde 2019. Atualmente, está emprestado ao Vasco para a disputa da Série B.



Veja também