Mesmo em isolamento total até a última segunda-feira devido ao diagnóstico de Covid-19, o presidente Romildo Bolzan conduziu todas as negociações do Grêmio para conter despesas no futebol durante a paralisação devido à pandemia do coronavírus. E isso envolveu uma readequação salarial também para Renato Gaúcho e sua comissão técnica.

Em entrevista à RBS TV, o presidente afirmou que “todos entraram” nos reajustes momentâneos de vencimentos durante o período de suspensão do calendário. Além do treinador, o clube conseguiu transferir o pagamento dos direitos de imagem aos jogadores apenas para 2021 e ganhou um fôlego para manter o fluxo de caixa.

Renato Gaúcho Romildo Bolzan Grêmio — Foto: Grêmio, divulgação

Renato Gaúcho Romildo Bolzan Grêmio — Foto: Grêmio, divulgação

Os acordos foram costurados por Romildo Bolzan com as lideranças do elenco. O presidente, aliás, faz questão de exaltar a sensibilidade do grupo de jogadores com as dificuldades financeiras projetadas pelo clube para os próximos meses.

– Todos entraram. Foi linear. Não foi uma coisa para um ou para outro. Um ajuste aqui e ali que foi pequeno, mas de uma maneira geral foi para todos. Nosso ajuste com os jogadores implicou numa grande sensibilidade da parte deles e um ajuste que, vamos dizer assim, fica entre nós. É um ajuste que jogadores e Grêmio chegaram a um bom termo. Prefiro não dizer como isso aconteceu, mas aconteceu de maneira satisfatória para ambas as partes – afirma o presidente.

O Grêmio, na figura do CEO Carlos Amodeo, elaborou um plano de contingência com prazo até junho de 2020. A previsão passada pelo presidente Romildo Bolzan Júnior era de problema de receita na ordem de R$ 25 milhões até junho. A Conmebol, no entanto, confirmou nos últimos dias a antecipação de receitas para clubes que estão na fase de grupos da Libertadores.

O elenco gremista tem reapresentação marcada para o dia 21 de abril, embora as férias possam ser estendidas por mais 10 dias. A Libertadores tem retorno previsto para o dia 5 de maio, enquanto o Campeonato Gaúcho está parado por tempo indeterminado. A CBF ainda não se manifestou sobre suas competições no segundo semestre.



Veja também