O Grêmio suspendeu as quatro torcidas organizadas presentes no protesto que culminou em pedradas no ônibus do clube na frente do CT Luiz Carvalho. Além dos quatro detidos, outros oito torcedores foram identificados pelo Tricolor. O processo de de avaliação continua durante o dia pelo clube, que promete punições após as apurações completas.

As quatro torcidas suspensas são a Geral do Grêmio, a Torcida Jovem, a Garra Tricolor e Rasta do Grêmio. Os grupos não poderão, assim, apresentar seus materiais nas arquibancadas nos próximos jogos do clube na Arena. O período de suspensão ainda não foi confirmado. Os quatro torcedores detidos estão proibidos de acessar o estádio gremista.

Nas redes sociais, Geral, Rasta e Torcida Jovem se manifestaram para repudiar os atos de violência e afirmar que foram ao CT Luiz Carvalho com o intuito de protestar de maneira pacífica. E que não identificaram integrantes das torcidas nos atos violentos.

Torcida em protesto no CT Luiz Carvalho — Foto: Reprodução / Dalmir Pinto / RBS TV

Torcida em protesto no CT Luiz Carvalho — Foto: Reprodução / Dalmir Pinto / RBS TV

Além das quatro pessoas detidas, o Grêmio analisa as imagens e busca a identificação de outros presentes nos atos de violência. O trabalho tem sido feito desde a manhã desta quinta-feira, e o presidente Romildo Bolzan promete punição aos participantes.

Quando o ônibus com os jogadores chegou ao CT Luiz Carvalho, foi alvo de pedras e fogos de artifício da torcida. Na sequência, houve também arremesso de pedras para dentro da área do CT, com estragos ao patrimônio do clube, e tentativa de invasão.

Eram cerca de 150 torcedores gremistas na Rua João Moreira Maciel, às margens da BR-290, à espera do veículo com faixas de protesto. Os relatos dos bastidores do clube são de que a confusão poderia ter tomado gravidade ainda maior pelo que foi vivido no local.



Veja também