Foto: Divulgação/Site oficial do Shakhtar

A possibilidade já era citada como remota. Mas o Grêmio sonhava com o retorno de Tetê, atacante do Shakhtar Donetsk. No entanto, o atleta tem viagem marcada para Portugal nesta sexta-feira para tratar da negociação com o Benfica. Hoje com 22 anos, o jogador foi negociado com o clube ucraniano em fevereiro de 2019 e era visto como um diferencial para a disputa da Série B.

Além do Benfica, Atalanta, Bayern de Munique e Monaco fizeram propostas pelo jogador. A do clube de Portugal foi considerada a melhor até o momento.

Conforme apurou o ge, o Grêmio fez contatos por Tetê após a liberação da Fifa para que estrangeiros que jogam na Rússia e Ucrânia atuem por outros clubes e a situação ganhou corpo nos últimos dias. Porém, a liberação da entidade para que ligas europeias inscrevam jogadores fora da janela se tornou um complicador.

O CEO do Shakhtar Donetsk, Sergei Palkin, negou ao ge conversas para um empréstimo ao Tricolor. Conforme ouviu a reportagem com outras fontes, um retorno ao Grêmio também estaria ligado a um acerto com uma equipe na Europa para a próxima temporada, a começar em julho, algo negado pelo estafe.

Em razão do conflito entre Rússia e Ucrânia, a Fifa permitiu que os jogadores que estão em ambos países acertem com uma nova equipe para, pelo menos, encerrar a temporada em outras ligas. Mais recentemente, a entidade também liberou que outros países registrem esses atletas fora do período previsto. Isso foi citado por um dirigente do Grêmio como um entrave.

Pablo Bueno, empresário do jogador, esteve no CT Luiz Carvalho há 10 dias para um encontro com a diretoria. O clube, no entanto, negou que a conversa fosse para apontar o retorno do jovem. A versão é que o assunto seria a recuperação de Ferreira, também representado pelo agente.

Nos bastidores, a direção alimentava a esperança de repatriar o jogador, e duas fontes no clube admitiram a tratativa como “real”. O atacante era visto como o diferencial na Série B para pavimentar a volta à elite.

O fato de envolver distintas pontas foi sempre considerado um complicador. Além disso, o atacante está valorizado na Europa pelas atuações recentes no Shakhtar.

Tetê foi formado no Grêmio e negociado antes mesmo de estrear como profissional por cerca de 12 milhões de euros (R$ 42 milhões à época) em 2019. Na negociação, os gaúchos mantiveram 15% de mais valia, a diferença entre o valor pago pelos ucranianos e o que eventualmente vier a ser pago em uma nova transferência.



Veja também