Foto: Divulgação / Porto

O departamento de futebol do Grêmio teve uma mudança de planos para a lateral-esquerda. Após não chegar a um acordo com Emmanuel Mas, do Boca Juniors, o Tricolor gaúcho negociou com Jorge, do Monaco. Sem acerto, o clube decidiu apostar nas opções da casa para o início da temporada: Bruno Cortez e Juninho Capixaba.

Entre o final do ano passado e os primeiros dias 2019, a direção esteve próxima de fechar a contratação de Emmanuel Mas. No entanto, a chegada do treinador Gustavo Alfaro ao Boca Juniors travou a negociação, e as conversas encerraram.

Sem Mas, o Grêmio se inteirou sobre a situação de Jorge. Revelado pelo Flamengo, acabou vendido ao Monaco em janeiro de 2017 por 9 milhões de euros (o equivalente a R$ 30,5 milhões, na época). Sem espaço, acabou emprestado ao Porto em meados do ano passado.

– Demos uma recuada na questão do lateral-esquerdo. Temos dois bons, o (Bruno) Cortez e o Juninho (Capixaba). Há uma certa preocupação, mas com toda calma. O Jorge foi um dos nomes que cogitamos – explicou o vice de futebol do Grêmio, Duda Kroeff.

A discussão sobre Jorge também não avançou em razão do lateral-esquerdo ser representado por Eduardo Uram. A relação do empresário com o Grêmio ficou mais distante após a direção não renovar o contrato com Cícero.

Enquanto a direção não dá um novo passo, Renato trabalha com Cortez e Juninho Capixaba. Este último tem contrato com o Grêmio até maio, quando encerra o empréstimo do Corinthians. Marcelo Oliveira, que também atuava no setor, quer se fixar como zagueiro em 2019.

Resta ver como serão os próximos passos da direção. Até o momento, o clube anunciou a contratação de quatro reforços para a temporada: o goleiro Julio Cesar, o volante Rômulo, o meio-campista Walter Montoya e o centroavante Felipe Vizeu.



Veja também