São 14 gols marcados em dois jogos contra o Aragua. Por razões mais que óbvias, o Grêmio não pode tirar nenhuma conclusão totalmente definitiva do 6 a 2 de quinta-feira, que garantiu vaga nas oitavas da Sul-Americana.

Mas a nova goleada, na Venezuela, ao menos indica opções que ganharam pontos com o técnico Tiago Nunes. E quem não conseguiu aproveitar mesmo neste contexto.

Nesta sexta-feira, o treinador completa um mês desde o seu anúncio pelo Tricolor. Ainda admite estar absorvendo informações para formar ideias para o futuro da temporada. Tanto que usou pela primeira vez o goleiro Gabriel Chapecó e o meia Pinares, por exemplo.

Como titular, outros tantos “estrearam” com o treinador, como Fernando Henrique, Ricardinho, Léo Chú e Guilherme Azevedo. Durante os 90 minutos, Tiago ainda usou quatro atletas que não haviam jogado sob seu comando: Victor Ferraz, Victor Bobsin, Elias e Pepê.

Jovens do Grêmio comemoram mais uma goleada na Sul-Americana — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Jovens do Grêmio comemoram mais uma goleada na Sul-Americana — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Foi a possibilidade, portanto, de aprofundar o laboratório em meio a oito vitórias consecutivas e classificação às oitavas de final. Também acelerou o uso de jovens. Em oito partidas, usou 17 jogadores com passagem pela base gremista — todos, é verdade, que já haviam atuado em algum momento da temporada.Sem dúvida esse tipo de jogo oportuniza aos atletas que não vêm atuando demonstrar o seu valor. E vamos conhecendo cada vez mais o grupo, evoluindo e buscando soluções para o futuro.— Tiago Nunes

O ge lista abaixo nomes que aparecem aos poucos no contexto e como eles foram. A avaliação não vale para atletas que já atuaram com frequência com Tiago Nunes, como Cortez, que já foi titular, e Jean Pyerre.

Quem ganhou pontos

Elias e Léo Chú foram bem em vitória do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Elias e Léo Chú foram bem em vitória do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

  • Léo Chú

Léo Chú balançou as redes uma vez, ao abrir o placar, e deu duas assistências, para Darlan, no terceiro gol, e Elias, no quinto. Antes de ser diagnosticado com Covid-19, vinha em uma ascensão. E, após período afastado pela doença, começa a retomar de onde havia parado.

  • Elias

Elias entrou apenas aos 35 minutos do segundo tempo. Em sua terceira partida como profissional, conseguiu fazer os dois gols que encerraram a goleada em uma diferença de dois minutos. Foi dos que mais mostraram vontade e seriedade dentro do jogo, mesmo com a vitória já resolvida. Deu o cartão de visitas para o treinador, embora haja outros nomes na sua frente na hierarquia.

  • Ricardinho

Para fechar o setor ofensivo, Ricardinho fez um gol de centroavante nato e foi quem mais finalizou na partida. Desperdiçou chances claras – uma de frente para o gol -, mas se mostra com potencial para ser a primeira alternativa a Diego Souza. Já tem seis gols em 13 partidas na temporada, mais que Churín em seus 30 jogos pelo Grêmio, por exemplo.

Tiago Nunes e Ricardinho em vitória do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Tiago Nunes e Ricardinho em vitória do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

  • Fernando Henrique

No meio, Fernando Henrique iniciou como titular e fez um bom primeiro tempo. Conseguia dar fluidez na saída de bola e apareceu nas coberturas. Fez dois desarmes, o maior número do Grêmio no jogo, e parou os ataques rivais com faltas. Aliás, o Aragua fez 20 contra só seis do clube gaúcho. Vai ganhando espaço para disputar a vaga de alternativa a Thiago Santos.

Lucas Silva atuou por ali no Gre-Nal, mas Fernando já apareceu na etapa final do clássico. Bobsin entrou na função na etapa final e também foi bem.

Não aproveitaram

  • Guilherme Azevedo

Entre as novidades, Azevedo foi quem mais decepcionou. O ponta pelo lado direito foi comedido nas arrancadas e jogadas incisivas para cima da marcação. Tentou construir pela direita, mas apareceu pouco. Foi quem menos acertou passes do time, apenas 11, e não colocou uma dúvida na cabeça de Tiago Nunes.

A posição está vaga com a lesão de Luiz Fernando. Léo Pereira sai na frente para o Gre-Nal de domingo e deve ficar com a titularidade. Guilherme poderia usar o jogo para colocar uma pulga atrás da orelha do técnico.

  • Pinares

O chileno também não usou a chance recebida com maestria. Jogou pela direita no tripé do meio-campo gremista, posição à qual estava acostumado a fazer na Universidad Católica. Participou bem da partida, se movimentou, mas não teve o destaque esperado. Era o jogo para colocar no bolso.

Pinares não fez um grande jogo na Venezuela — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Pinares não fez um grande jogo na Venezuela — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Uma pancada durante o primeiro tempo, o retorno após lesão muscular e a estreia sob o comando do novo técnico, é verdade, são fatores que atrapalharam. Mas a expectativa estava alta sobre o chileno.

O Tricolor agora treina na tarde desta sexta-feira, no CT Luiz Carvalho, de olho no Gre-Nal de domingo. Um empate já garante o tetracampeonato gaúcho do Grêmio na Arena.



Veja também