Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação / CP

O Grêmio soube entender o confronto. Jogou com maturidade e marcou corretamente, mesmo sendo pressionado no fim. Assim, segurou o empate em 0 a 0 diante do São Paulo no Morumbi na noite desta quarta-feira. Com o resultado, a equipe de Renato Portaluppi garantiu a nona classificação na história à final da competição, a segunda do comandante após quatro anos desde a última decisão, e irá tentar o hexacampeonato.

O Grêmio criou boas chances no primeiro tempo, especialmente com Victor Ferraz, ao colocar bola na trave. Já o São Paulo pressionou no segundo tempo, mas não conseguiu o gol que buscava. 

Com o resultado, o Grêmio garantiu classificação para a Copa do Brasil pela nona vez em sua história. Campeão em 89, 97, 2001 e 2016, e vice em 1991, 1993 e 1995, a equipe busca o hexacampeonato. O adversário na decisão é o Palmeiras, que venceu o América-MG por 2 a 0 na outra semifinal.

Grêmio faz bom primeiro tempo no Morumbi

O técnico Renato Portaluppi teve problemas para escalar o sistema defensivo. Sem Geromel, fora por lesão desde o jogo de ida, o escolhido para jogar ao lado de Kannemann foi Rodrigues. Na volância, Darlan deu lugar a Lucas Silva, na tentativa de ganhar na marcação no meio campo. Por outro lado, Alisson, que teve boa atuação contra o Atlético-GO, voltou ao time titular. 

Logo aos 10 minutos, o Grêmio criou a primeira chance clara para marcar. Após cobrança de escanteio pela direita, a bola aberta chegou em Diego Souza na marca do pênalti. A cabeçada achou Victor Ferraz, muito bem posicionado. Na cara de Thiago Volpi, ele bateu torto e fraco, no pé da trave esquerda, desperdiçando boa chance. 

O Grêmio seguiu melhor e voltou a criar chances. Ajustado na marcação, pressionou a saída do São Paulo e complicou a vida de Daniel Alves. O meia errou, e a bola se apresentou para Diego Souza, na feição para uma bicicleta. Ele arriscou, e a bola passou mais uma vez muito perto da trave.

Após os 30 minutos, o São Paulo ajustou a marcação e conseguiu chegar algumas vezes com perigo à frente, especialmente com Gabriel Sara explorando a velocidade. No entanto, não chegou a criar chances claras para marcar. Assim, a partida foi ao intervalo em 0 a 0.

Renato recua o time, mas Grêmio segura empate e vai à final

O Grêmio retomou com a mesma postura na marcação, imprimindo dificuldades ao São Paulo, que seguia rodando a bola. Para seguir ajustado atrás, com uma proposta de contra-ataque, Renato optou por lançar a campo Thaciano, no lugar de um Alisson que fazia boa partida.

O São Paulo mexeu, e o Grêmio passou a sofrer um pouco mais na marcação. Thaciano entrou para reforçar o meio, e depois passou para a lateral direita quando Victor Ferraz sentiu e precisou ser substituído por Ferreira.

O Grêmio passou a marcar mais e mais atrás, e o técnico Renato Portaluppi optou por tirar Pepê, Jean Pyerre, que quase não contribuiu no jogo, e Diego Souza, para as entradas de Everton, Darlan e Paulo Miranda. Assim, o São Paulo buscou o gol até o final, cercando o Grêmio. No entanto, o gol não saiu. E, assim, o Grêmio avançou à sua nona final na história da Copa do Brasil. 

Copa do Brasil – jogo de volta da semifinal 

São Paulo 

Thiago Volpi; Juanfran, Arboleda, Bruno Alves e Léo; Luan, Daniel Alves, Tchê Tchê e Gabriel Sara; Igor Gomes e Brenner. Técnico: Fernando Diniz

Grêmio 

Vanderlei; Victor Ferraz, Rodrigues, Kannemann e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Lucas Silva, Jean Pyerre, Pepê e Alisson; Diego Souza. Técnico: Renato Portaluppi

Cartões amarelos: Matheus Henrique (Grêmio) 

Arbitragem: Bruno Arleu de Araújo (RJ)  

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)



Veja também