Aquilo que se temia quando do início da pandemia de coronavírus começa a se desenhar de uma forma mais intensa. Se em março o Grêmio registrou uma queda pouco significativa no seu quadro social, em abril a situação mudou. O clube contabilizou uma redução na casa dos 15% na arrecadação dos sócios. Manter o associado “em dia” tem sido uma tarefa árdua durante este período sem jogos.

“No mês de abril, comparando com o primeiro trimestre, o volume arrecadado foi de 15% a menos”, confirma o executivo de marketing do Grêmio, Beto Carvalho. O clube lançou, recentemente, uma série de ações de fidelização do associado, incluindo vantagens como a prioridade na compra de ingressos quando o futebol com público for retomado. Esse é outro fator que dificulta a manutenção dos sócios.

Sem perspectiva de retorno ao estádio, há uma desmobilização natural do torcedor. A próxima atração que o clube prepara é o lançamento das camisas de 2020, o que deve ocorrer até o final da semana que vem. “Nós estamos chamando de apresentação das novas camisas, já que não temos como realizar um lançamento. O que vamos fazer é usar massivamente as redes sociais”, explica Beto Carvalho. 

Alguns jogadores serão escolhidos para vestir os novos uniformes e apresentá-los nas redes sociais do Grêmio. “O sócio com o pagamento em dia terá um desconto de 20%, mesmo sendo lançamento”, revela o executivo de marketing.

Com as lojas físicas fechadas, o Grêmio tem focado suas vendas de produtos do clube apenas na loja on-line. “O movimento de vendas na loja on-line em abril cresceu cinco vezes na comparação com o mês de março. Mas claro que não compensa o volume das lojas físicas. A venda on-line representa em torno de 15% do total em um cenário normal”, comenta Beto Carvalho. 

Os jogadores seguem os treinamentos no CT Luiz Carvalho. Ontem, pela primeira vez desde a apresentação na semana passada, os atletas realizaram trabalhos de força, sempre divididos em pequenos grupos.



Veja também