Foto: Alina Souza

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, revelou em entrevista durante o evento Tá na Mesa, da Federasul, que o clube só buscará reforços na janela de inverno no caso de saída de atletas do grupo principal. Entretanto, o presidente evitou falar sobre sondagens, exceto a pelo volante Jaílson, que chegou ao clube e já foi definida.

“O Grêmio acha suficiente o plantel, mas se algum jogador sair, vamos tentar repor. Poderá ser da base ou de fora. As duas situações são avaliadas. O conceito é: se sair alguém, precisamos ficar competitivos. Se para ficar competitivo significa trazer (reforços), faremos isso”, declarou o tricampeão da Libertadores.

Ao ser questionado se existem negociações para a saída de algum titular, como o interesse informado pela imprensa italiana da Lazio por Luan, o presidente evitou falar diretamente, mas lembrou a necessidade de atenção as movimentações do mercado e a possibilidade de ter que buscar reforços.

“Isso é possível, sempre lembro que Pedro Rocha e Wallace saíram no último dia das janelas. Nosso desejo é manter o grupo, pois isso representará que a competitividade será mantida. Se tivermos que perder algum jogador estratégico ou essencial, iremos repor. Estamos atentos, pois queremos disputar os três campeonatos que estamos”, ressaltou o dirigente.

Sobre um possível interesse do Grêmio no atacante Marinho, ex-Inter, Caxias, Paraná, Goiás, Náutico, Ceará, Cruzeiro e Vitória, que atualmente está no Changchun Yatai, da China, o mandatário foi categórico. “Não tem nenhuma avaliação sobre isso. Não tem nenhuma situação negocial. Não tem absolutamente nada”, disse Bolzan.

Situação de Jaílson

Romildo também falou sobre a possibilidade de Jaílson permanecer no clube, já que o Santos estaria disposto a sair do negócio por não chegar a um acordo financeiro com o volante ou por ele ter disputado a Libertadores e a Copa do Brasil. O Correio do Povo questionou o gerente de futebol do clube santista, William, ex-zagueiro do Grêmio, sobre a possibilidade, mas até agora não obteve resposta.

“A situação entre os clubes está pronta. O que tem ali é uma situação entre o Jaílson e o Santos. Não sei exatamente como está a situação entre eles. O negócio tem que ser bom para o Grêmio e para o jogador. Que fique muito claro que essa situação será concluída se efetivamente ocorrer o acerto entre o jogador e o Santos. Se ficar, ele permanece e ficaremos muito felizes”, declarou o presidente.



Veja também