O Grêmio renovou as laterais com as chegadas de Orejuela e Nicolas. Ambos estão na faixa dos 24 anos, uma idade considerada pelo clube como intermediária e que se encaixa na equalização do elenco que direção e comissão buscam para a temporada de 2022.

Direção e comissão trabalham para buscar reforços específicos no que diz respeito a jogadores que estão no auge físico, técnico e tático, na visão do clube, dos 24 aos 28 anos. É uma carência detectada de que nos últimos anos faltou jogadores nessa faixa intermediária.

Em entrevista recente ao ge, o vice-presidente de futebol Denis Abrahão deu alguns detalhes sobre o perfil de atleta que o Grêmio busca para jogar a Série B. Exatamente o que o clube enxerga em Orejuela e Nicolas.

Sou adepto do futebol força. Hoje em dia tem duas valências no futebol que são a força e a velocidade. Claro que tem que ter qualidade. Um time jogando para frente, amassando, gosto disso, do abafa. A Série B tem que jogar dessa forma. Jogadores fortes, viris. Não violentos – revelou o dirigente.

Aliás, uma das análises do clube na campanha do rebaixamento foi que os jogadores muito jovens por vezes se abatiam psicologicamente durante as partidas. Já os mais experientes deixavam a desejar no alto rendimento físico por todos os 90 minutos.

As chegadas do lateral-direito Orejuela, do São Paulo, e Nicolas, do Athletico, ambos por empréstimo, preenchem essa lacuna. Inclusive, assumem as vagas no grupo que eram de Rafinha e Cortez, o primeiro com 36 anos e o segundo com 34 – eles não renovaram seus contratos.

Nas reuniões do Conselho de Administração no início de dezembro, um dos pontos debatidos foi a má disposição e gerência do elenco no quesito faixa etária. A constatação foi que haviam muitos jogadores nos extremos: os mais novos e os mais velhos. Faltou renovação.



Veja também