Lucas Uebel / Divulgação/Grêmio

O foco da direção do Grêmio é aprofundar a rotina dos treinamentos. Nas sete semanas desde que retomou as atividades, o grupo de jogadores faz basicamente trabalhos físicos, ainda que alguns sejam com bola. Por isso, a direção estipulou conversas com a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) e com o governo do Estado para retomar os treinos coletivos a tempo de ter condições ideais na volta do Gauchão, no meio de julho.

Na tarde da última quinta-feira (18), foram realizados dois encontros em que a instituição esteve envolvida indiretamente. O primeiro, entre o governo estadual e FGF, sem a presença de representante gremista. Na reunião, foram entregues os protocolos para o retorno do Gauchão 2020. O segundo contou com as direções da dupla Gre-Nal e a prefeitura de Porto Alegre. A principal pauta eram os trabalhos coletivos pelos clubes. 

— A gente já conhecia (o protocolo da FGF). O Grêmio está pleiteando apenas para treinar coletivamente — justificou o presidente gremista Romildo Bolzan.

O prefeito da Capital, Nelson Marchezan, relatou a importância do diálogo com as principais equipes da cidade neste momento. Ele avalia que os dirigentes seguem uma linha rígida de protocolos e observa que novidades não estão descartadas:

“Os técnicos de saúde da prefeitura e dos clubes trabalham para adequar procedimentos e chegar a um modelo que possibilite a volta dos treinos coletivos de forma progressiva”, escreveu Marchezan, no Twitter.

Nesta sexta-feira, o Tricolor finaliza a sétima semana consecutiva de atividades no CT Luiz Carvalho. No entendimento da comissão técnica, a ênfase na parte física foi concluída, e os atletas estão prontos para aprofundar ainda mais quesitos táticos e técnicos. Para isso, no entanto, falta a liberação dos órgãos sanitários para avançar os treinamentos.



Veja também