Apesar da terceira vitória consecutiva e a liderança da Série B do Campeonato Brasileiro, o Grêmio ficou na bronca com a arbitragem da partida contra o CRB. Após a partida de sábado, treinador, presidente do clube e vice-presidente de futebol reclamaram de duas decisões que consideraram equivocadas.

Um dos principais lances que causou indignação no lado tricolor foi o gol anulado de Elias. No segundo tempo, o atacante recebeu de Biel na grande área e marcou o que seria o terceiro gol do Grêmio. Porém, o VAR traçou as linhas 3D e decidiu pela anulação do lance, por impedimento.

Roger Machado discordou da decisão e falou que, para ele, a posição do atacante era legal. Já o presidente Romildo Bolzan Júnior opinou dizendo que da maneira como as linhas foram colocadas não é possível tirar uma conclusão definitiva sobre o lance.

– Eu tenho aqui (no celular) a linha que foi montada para examinar o lance. Ali não tem condição de ver se foi impedimento ou não. Não tem condição – disse o mandatário.

Hoje o Elias estava em posição regular no gol— Roger Machado, treinador do Grêmio

A outra polêmica da partida foi aos 46 minutos do segundo tempo. Nicolas acertou um pisão no calcanhar do jogador adversário, o árbitro Felipe Fernandes de Lima deu vantagem no lance, mas logo depois mostrou o cartão vermelho para o jogador do Grêmio. Com a expulsão, o lateral-esquerda, que é líder em assistência na temporada, fica de fora do jogo contra o Cruzeiro.

Dênis Abrahão, vice de futebol, disse que começou a rir quando viu o árbitro expulsar Nicolas. No seu entendimento, foi um lance natural, sem intenção do jogador de atingir o adversário.

– Na expulsão do Nicolas eu comecei a rir. Estavam correndo lado a lado, o outro jogador tropeçou e o Nicolas passou o pé. Se isso é caso para expulsão, teremos 20 por jogo. Com o VAR tem que minimizar o erro e acho que não está minimizando – reclamou o vice.

– O lance do Nicolas foi os dois correndo junto. Não foi com o pé em cima do jogador. Os dois saíram correndo juntos e, às vezes, pega o calcanhar de alguém quando está correndo assim, mas não por querer. Achei uma demasia a expulsão dele – acrescentou Romildo.

O técnico Roger Machado exigiu durante a entrevista coletiva mais isonomia por parte da arbitragem. Segundo o comandante, os erros tem sido recorrentes contra o clube.

– Temos que ter equilíbrio. Não é menos, nem mais. Temos que entender, mas não é a primeira vez que isso acontece para o nosso lado – reivindicou.

Roger Machado em entrevista coletiva após vitória contra o CRB — Foto: Eduardo Moura/ge.globo

Roger Machado em entrevista coletiva após vitória contra o CRB — Foto: Eduardo Moura/ge.globo

Após a derrota para a Chapecoense, na segunda rodada da Série B, o Grêmio entrou com uma reclamação formal na Comissão de Arbitragem da CBF por conta de um lance envolvendo Ricardinho dentro da área e que seria pênalti a favor do Tricolor. Como resposta, o parecer da Ouvidoria admitiu erro da arbitragem no lance.

Após essa partida, Dênis Abrahão se reuniu com o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Wilson Seneme. Segundo o dirigente gremista, Wilson admitiu que teria uma conversa com os árbitro envolvidos no erro. Ao ser questionado se iria solicitar uma arbitragem de alto nível para a próxima rodada, contra o Cruzeiro, Romildo Bolzan disse que não fará isso, pois confia que a comissão de arbitragem vai saber o que fazer.

– Eu parto do princípio da boa fé e daquilo que não precisa ser dito. Ele (Wilson Semene) sabe do tamanho do jogo e se colocar uma arbitragem comprometedora vão pagar um preço, o do descrédito. Estão conscientes disso. O Grêmio não precisa reclamar. Eles vão ver o tamanho do jogo, das camisas, porque vai começar a se decidir as pontas do campeonato – completou o presidente.

O Grêmio visita o Cruzeiro, no Mineirão, no próximo domingo, dia 8. As duas equipes brigam na parte de cima da tabela e têm o mesmo número de pontos, 10. O Tricolor se reapresenta na terça-feira para começar a preparação para a sexta rodada da Série B.



Veja também