Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press

Emprestado ao Sport durante 2019, o atacante Guilherme se valorizou na campanha do acesso para a Série A. O artilheiro da segunda divisão é visto como uma peça relevante na intenção de fazer negócios, mas ainda não houve um contato promissor nas visões tanto do Grêmio quanto do jogador.

Guilherme terminou o ano valorizado depois dos 17 gols feitos com a camisa do Leão na Série B. Recebeu contatos clubes interessados do Japão, de Portugal e da Itália, além de outros mais recentes. Mas até agora nada que fosse o suficiente para o Grêmio aceitar liberá-lo ou que fizesse os olhos do atacante brilhar.

Com as festas de final de ano, o tempo para uma negociação ocorrer até a data de reapresentação do Grêmio, no dia 9 de janeiro, ficou curto. Conforme o GloboEsporte.com apurou, a diretoria gremista reconhece que é difícil fechar uma venda do atleta até lá, mas também não confirma a reapresentação do atacante com o restante do elenco.

Um aproveitamento de Guilherme é improvável no Tricolor para 2020. Nos primeiros meses de Renato no comando, em 2016, o jogador passou pelas mãos do ídolo. Inclusive, foi campeão da Copa do Brasil daquele ano. Mas a definição é que não seria aproveitado a partir de uma análise feita pela comissão técnica do clube.

Até a reapresentação do Grêmio, a janela de transferências abre em outros país, alguns destes dos interessados pelo atacante no início do mês. O que pode favorecer um negócio envolvendo o atacante acontecer nos primeiros dias de janeiro.

O Sport até tinha interesse em manter o atacante. Mas, a partir das procuras de clubes de fora do país e também da intenção do jogador em cumprir esse sonho, considera essa situação inalcançável.



Veja também