Foto: Reprodução / RBS

Desde que o Grêmio viajou para o Rio de Janeiro, onde enfrentou Vasco e Botafogo, pelo Brasileirão e Libertadores, respectivamente, Luan e Geromel trabalham em pelo menos dois turnos para acelerar a recuperação. Ambos com problemas na coxa direita, permanecem como dúvidas para o duelo decisivo das quartas de final da competição continental diante do Glorioso, na quarta-feira. Nesta segunda ou na terça, a preparação prevê ao menos um treino com bola para sentir a resposta da dupla em campo.

– Eles vão fazer um trabalho com bola até terça-feira, com certeza. Em forma de teste, mas dentro de campo em alguma função, com regras que adaptamos para que eles ganhem confiança dentro do trabalho e consigam fazer progressão se nada sentirem – disse o preparador físico Rogério Dias na zona mista da Arena após a derrota para a Chapecoense, no domingo.

No planejamento gremista, Geromel e Luan, além de Edílson, que sentiu um problema lombar no jogo do Rio de Janeiro, farão tratamento na manhã desta segunda e serão reavaliados à tarde. Eles inclusive mantiveram trabalhos intensivos no CT Luiz Carvalho no sábado e no domingo. A atividade é integrada entre fisioterapia e preparação física para dar atenção especial aos lesionados.

– Eles vêm tratando clinicamente. Seguem com a fisioterapia e em alguns momentos com a preparação física, que direciona trabalhos de membros superiores. A fisioterapia, além do trabalho clínico, direciona membros inferiores, aeróbios, bicicleta, corridas, mudança de direção. Amanhã (segunda-feira) à tarde passam pela avaliação, aí se toma a decisão se vão para o treino com bola ou não – esclarece Dias.

Já o técnico Renato Gaúcho manteve a postura das últimas entrevistas. Citou as conversas que tem periodicamente com todos os setores que cuidam dos jogadores para tomar a decisão final, na quarta-feira. Não esconde a importância da partida, mas rechaça escalá-los caso as condições físicas sigam impróprias.

– Eu sei exatamente as condições de cada um. Pode ter certeza que jamais vou colocar um jogador dentro de campo sabendo que pode ter uma lesão ou agravá-la com cinco, 10 minutos de jogo. É um jogo importantíssimo, mas não é uma final. Se estiverem em uma condição de se lesionar, não vão entrar em campo – decretou.

O Grêmio perdeu para a Chapecoense na Arena, mas não o posto de segundo colocado no Brasileirão. Segue com 43 pontos, agora 10 atrás do líder Corinthians. Na quarta-feira, também em Porto Alegre, decide o futuro na Libertadores diante do Botafogo, às 21h45. Com o 0 a 0 no jogo de ida, o Tricolor avança com qualquer vitória. Empate sem gols leva a decisão para os pênaltis e, com gols, classifica o time carioca.



Veja também