Grêmio precisará de criatividade em contratações para 2014

15 de dezembro de 2013 - Às 13:42
Com um déficit que irá ultrapassar R$ 90 milhões ao final de 2013, o Grêmio precisará de criatividade para montar um elenco competitivo para o próximo ano. Sem a renda dos jogos, o Tricolor passou por apuros neste ano, atrasando salário dos jogadores, porém este déficit já irá diminuir com a assinatura do novo contrato com a OAS.
Porém, mesmo com todo esse déficit, o presidente do Grêmio, Fábio Koff, mostra otimismo e diz não estar preocupado: “Não assusta, não”.
Contratações de peso não poderão ser feitas, e os reforços irão se limitar aos pontos carentes do time. Será necessário criatividade e o presidente ainda acalma a torcida:
“Tem de ser considerado dentro dos padrões orçamentários. Mas, posso dar um alento à torcida do Grêmio que nós temos criatividade suficiente para compatibilizar uma redução de despesas com a melhor qualificação da equipe”, completa o mandatário.
O presidente relembrou que neste ano houveram compras de grandes jogadores, porém destacou contratações como Maxi, Wendell e demais jogadores do Juventude, que foram bem e não eram jogadores de parar o aeroporto.
“O Grêmio investiu demais esse ano porque não tinha direitos econômicos de ninguém. O atleta que o Grêmio tinha negociável era o Fernando. Adquirimos atletas para a base. Compramos o Souza, o Pará, o Barcos, um dos jogadores mais valorizados. Nós não podemos fazer investimentos nesta ordem, mas temos munição suficiente para fazer algumas operações com os jogadores que nós compramos e que estão nas categorias de base”, 
A folha salarial é o ponto chave. No começo do ano, chegou a ficar em quase R$ 8 milhões, e hoje está menor que R$ 6 milhões, garante o presidente:
“Ela já diminuiu. Hoje, está em menos de R$ 6 milhões. Vamos ver se projetamos para manter neste patamar”
As saídas de Dida, Vargas e Fábio Aurélio aliviaram a folha salarial em cerca de R$ 1 milhão.


Veja também