A derrota do Grêmio para o Atlético-GO se tornou um bom resumo da campanha gaúcha no Campeonato Brasileiro até o momento. Na briga contra o rebaixamento, o Tricolor teve volume ofensivo, mas mostrou dificuldade na hora de converter as chances criadas em gols. Na defesa, vazou facilmente mesmo sem sofrer tantas finalizações assim.

O Grêmio tem a terceira pior eficiência defensiva no Brasileirão e a quarta pior média ofensiva. Os números expressam a dificuldade para o Grêmio encontrar o equilíbrio no Brasileirão. Os dados são do Espião Estatístico do ge.

No fim do primeiro tempo em Goiânia, por exemplo, quando o Grêmio sofreu o gol, acumulava 10 chutes contra apenas um do Dragão.

A parte ofensiva é um dos problemas desde o início da competição. O time de Vagner Mancini tem o terceiro pior ataque da competição, com 23 gols. Além disso, soma 334 finalizações em 26 partidas disputadas.

Douglas Costa em derrota do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Douglas Costa em derrota do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Precisa, em média, de 14,52 chutes para balançar as redes uma vez, a quarta pior eficiência entre todos os clubes do Brasileirão, à frente apenas de Sport (19,53), Santos (15,09) e América-MG (14,59) (veja os números no fim da matéria).

O técnico Vagner Mancini inclusive chegou a citar esse problema em sua entrevista coletiva ao defender uma avaliação coletiva na atuação, sem críticas direcionadas apenas a algum setor específico.

– Tudo me preocupa. Óbvio que o setor defensivo foi vazado, mas o ofensivo teve chance e não fez. Eu não fraciono a equipe. O Grêmio perdeu de 2 a 0, não o sistema defensivo ou ofensivo. Tivemos acertos e algumas coisas que serão ajustadas – avaliou.

Sofrendo gols há um mês

Além da dificuldade de transformar as finalizações em mudança no placar, o Grêmio tem apresentado problemas para se manter zerado. Isso não ocorre há mais de um mês, na vitória sobre o Flamengo, no Rio.

O adversário precisa de 8,81 arremates contra a meta do Tricolor para chegar ao gol. É a terceira pior eficiência entre os clubes do Brasileirão, embora com diferença mínima. O Santos leva um gol a cada 8,5 chutes recebidos, e a Chapecoense, 8,71.

O elenco volta aos treinamentos nesta quarta-feira e se prepara para o duelo com o Palmeiras, no domingo, às 16h, na Arena. Rafinha, Ferreira, Borja, Luiz Fernando e Paulo Miranda são desfalques por suspensão. Lucas Silva e Geromel retornam e ficam à disposição. O Tricolor tem 26 pontos e é o vice-lanterna da competição.

Eficiência ofensiva no Brasileirão

TimeFinalizaçõesGolsUm gol a cada X finalizações
Flamengo368477,83
Bragantino360448,18
Atlético-MG372448,45
Internacional319378,62
Corinthians278309,27
Fluminense265289,46
Palmeiras399429,50
Bahia3113110,03
Athletico-PR3263210,19
Cuiabá2832710,48
Fortaleza4073810,71
Atlético-GO2582410,75
Juventude2972711,00
Chapecoense2982412,42
Ceará3362513,44
São Paulo2982213,55
Grêmio3342314,52
América-MG3942714,59
Santos3472315,09
Sport2931519,53

Eficiência defensiva do Brasileirão

TimeFinalizações sofridasGols sofridosUm gol sofrido a cada X finalizações
Sport3962416,50
Atlético-GO3582414,92
Corinthians3312612,73
Cuiabá3522812,57
Atlético-MG2492012,45
Bragantino3793211,84
Ceará3352911,55
América-MG3172910,93
Fluminense3032810,82
São Paulo2842710,52
Fortaleza3153010,50
Internacional3153010,50
Athletico-PR3633610,08
Palmeiras339349,97
Flamengo237249,88
Juventude331369,19
Bahia341388,97
Grêmio282328,81
Chapecoense427498,71
Santos289348,50


Veja também