“Grêmio perde um grande presidente”, lamenta Fábio Koff

Dirigente campeão do mundo destacou que começou a vida política no clube com o patrono

1 de agosto de 2017 - Às 17:09
Foto: MGAT / Divulgação / CP memória

O ex-presidente gremista, Fábio Koff, expressou o profundo pesar pela morte do Hélio Dourado na manhã desta terça-feira. O dirigente campeão da Libertadores e do Mundial lembrou do esforço do antecessor para elevar o Grêmio a um novo patamar, seja dentro de campo, ou fora dele.

“É um dia muito triste”, lamentou. “Entrei no Grêmio pela mão de Hélio Dourado e, em 1976, entrei como vice em uma chapa vitoriosa da eleição do presidente Dourado. Por isso, que recebo com uma profunda tristeza a notícia do falecimento do estimado amigo, grande gremista e uma pessoa incrível”, afirmou o ex-presidente.

Bastante emocionado, Koff destacou a importância de Dourado para história moderna do clube e da torcida. “Em uma frase sintetizo tudo. O Grêmio perde um grande presidente. Um homem empreendedor, ousado, corajoso e que dedicou a sua vida para o clube como ninguém fizera até então. Com ele iniciamos um período de vitórias. A construção do Olímpico”, citou. “Era um exemplo de dedicação. Não conheci gremista maior.”

“O momento é de transmitir a minha solidariedade e afeto para a toda a família do presidente Hélio Dourado neste momento de dor. O Grêmio perde um pouco dele mesmo”, destacou o presidente campeão do mundo.

Ao ser questionado sobre o trabalho de Hélio Dourado no Olímpico, Fábio Koff destacou a importância do ex-dirigente para transformar o estádio em um dos pontos mais conhecidos da cidade de Porto Alegre, além de agregar a torcida e dar um impulso para a era de vitória dos anos 80 e 90. “Foi um empreendimento que deixou uma marca na cidade. A vontade e a confiança que ele transmitiu a todo o torcedor do Grêmio. Em cada tijolo do Olímpico tem o esforço do presidente Hélio Dourado. Sua dedicação, empenho e gremismo. Uma figura extraordinária”, declarou Koff.



Veja também