Foto: Marco Favero

Um gol nos acréscimos salvou o Grêmio de perder a invencibilidade na sexta rodada do Gauchão. Aos 46 minutos, Nicolas, que havia entrado no segundo tempo, acertou um chute de fora da área, rasteiro e empatou o jogo que tinha vantagem do Juventude desde que Capixaba havia aberto o placar. O 1 a 1 deste domingo manteve o Tricolor na liderança e ainda ameaça o time de Caxias do Sul, próximo à zona de rebaixamento.

Vagner Mancini devolveu o time que considera titular neste começo de temporada. Isso significa Diogo Barbosa na lateral esquerda, a dupla de volantes Thiago Santos e Lucas Silva, mais Benítez, Janderson e Ferreira, com Diego Souza de centroavante. No gol, o rodízio previa a manutenção de Brenno. O Juventude, ainda sob comando de técnico interino, saiu no 4-3-3, tendo Guilherme Parede e Capixaba nas pontas e Ricardo Bueno centralizado.

A partida começou com iniciativa do Grêmio. O primeiro ataque, aos cinco minutos, teve Diego Souza escorando de peito, Benítez entregando de primeira a Ferreira. O atacante passou por dois e chutou, César fez grande defesa.

O Juventude respondeu quando Diogo Barbosa errou um passe, sozinho, no meio-campo, e deu de presente a Ricardo Bueno, que avançou e esperou a chegada de Capixaba. O ponta trouxe para a perna esquerda e chutou raspando a trave.

Novamente Ferreira comandou um ataque. Ele arrancou lá do campo de defesa, percorreu 60 metros com a bola passou para Diogo Barbosa. O lateral cruzou, Diego Souza foi travado por William Matheus e pediu pênalti. Na sequência, Ferreira e Diego Souza tabelaram, mas o atacante fez falta no zagueiro.

Parte da Arena achou que havia saído gol quando Benítez, na metade do primeiro tempo, arriscou de fora da área. A bola bateu no ferro atrás da trave e causou a sensação de que havia entrado.

Em duas oportunidades o Juventude tentou de longe, uma com Parede, outra com Moraes. Em ambas, Brenno espalmou. Entre elas, um lance que ficou entre a confusão e a comédia. Bruno Alves se armava para dar combate em Ricardo Bueno quando Geromel, atabaolhoado, deu um encontrão nos dois. A bola sobrou para Parede, que entraria cara a cara com o goleiro, mas foi atrapalhado pelo quique da bola e perdeu tempo e a vantagem, sofrendo falta de Lucas Silva.

Dos 40 até o intervalo, o jogo teve chances lá e cá. Moraes cruzou da esquerda, Bruno Alves furou e Ricardo Bueno se atrapalhou, ficando com a bola presa. Na sequência deste lance, Thiago Santos concluiu de cabeça o cruzamento de Janderson, César fez grande defesa, mas o lance foi anulado por impedimento. Parede, pouco depois, chutou cruzado e Brenno defendeu. Thiago Santos conduziu, entrou na área e bateu, a bola desviou na defesa e César espalmou. O replay deixou claro que a bola bateu no braço de William Matheus.

No último lance do primeiro tempo, a melhor chance. Benítez cobrou escanteio no segundo pau e Diego Souza apareceu por trás de todo mundo. Sua cabeçada explodiu no travessão.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo do primeiro. Logo no início, Ferreira chutou, a zaga desviou e Benítez pegou o rebote, mas, inacreditavelmente, furou em bola depois de dominá-la.

Aos oito, Mancini foi forçado a fazer uma troca. Ferreira estava mancando e não teve mais condições. Saiu para a entrada de Gabriel Silva.

O Juventude chegou perto de fazer o gol. Após cobrança de escanteio, a zaga afastou, Moraes pegou o rebote e chutou de primeira, Brenno fez defesa espetacular. Ricardo Bueno ficou com a sobra, mas não conseguiu encostar para a rede.

Gabriel teve sua primeira boa chance, mas o chute de fora da área foi espalmado pelo goleiro. Pouco depois, mais duas trocas: saíram Lucas Silva e Orejuela, entraram Villasanti e Rodrigues, aparentemente fixado na lateral direita.

Aos 34, Diego Souza fez jogada de pivô, escorou para Benítez, que encheu o pé, o goleiro fez grande defesa e saltou para buscar o rebote. Janderson chegou instantes atrasado.

A resposta do Juventude foi fatal. Eram 35 minutos, quando Parede fez um lançamento perfeito, da esquerda para a direita e encontrou Jadson entrando na área. O meia passou para Capixaba, sozinho. Com calma, ele tirou do goleiro e de Bruno Alves, que estava sobre a linha. Juventude 1 a 0.

Mancini tentou reforçar o ataque no desespero, com Rildo no lugar de Benítez e Nicolas na vaga de Diogo Barbosa. E o lateral salvou o time. Aos 46, após a zaga do Juventude cortar, em um embolamento com Diego Souza, o Nicolas chutou de fora da área, César não pulou e a bola entrou de mansinho.



Veja também