Após acertar a saída em “comum acordo”, o Grêmio pagará apenas um mês de indenização ao ex-técnico Felipão. O valor é mantido em sigilo, mas nenhuma outra cifra será cobrada.

Anunciado em julho para o lugar de Tiago Nunes, Luiz Felipe Scolari tinha contrato até o final de 2022, com mais 14 meses de trabalho pela frente, que foram interrompidos.

A saída de Felipão começou a ser discutida na noite do último domingo após a derrota para o Santos, na Vila Belmiro, e só foi oficializada nos primeiros minutos de segunda-feira. A reunião que selou o fim do trabalho foi considerada “amigável”, mas a decisão de interromper o trabalho partiu da direção.

Sem Felipão, o Grêmio segue a vida em busca do novo técnico que possa tirar o time da zona de rebaixamento e com uma decisão pela frente já nesta quarta-feira contra o Fortaleza. Até o momento, o auxiliar permanente Thiago Gomes assume como técnico interino.

Felipão deixa o Grêmio após três meses no cargo — Foto: Eduardo Moura

Felipão deixa o Grêmio após três meses no cargo — Foto: Eduardo Moura



Veja também