A arrancada no Campeonato Gaúcho para o Grêmio trouxe o primeiro passo afundado em uma areia movediça. A derrota por 2 a 0 para o Caxias, na Arena, veio em uma atuação coletiva travada, que pouco mostrou do que deve ser o time em 2020, até por falta de várias peças.

As falhas cometidas, que passam também diretamente pelos estreantes, são facilmente explicadas pela falta de ritmo. O técnico Renato Gaúcho gostou do que viu e ainda aproveitou para fazer um teste com Everton mais próximo do gol.

Logo no início do jogo, o primeiro erro fatal. Reforço para a temporada, Lucas Silva tentou recuar uma bola para Alisson. O passe foi comprido e serviu como lançamento para o centroavante Gilmar.

Lucas Silva falhou em sua estreia — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Lucas Silva falhou em sua estreia — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O toque saiu na medida para Tilica, que se antecipou a Kannemann, passou por Vanderlei e abriu o placar antes dos 10 minutos de jogo. O argentino, por sinal, foi um dos que mais sofreu. Como é um zagueiro que depende muito do físico, vai demorar alguns jogos até atingir seu maior nível.

Já o volante não atuava desde junho de 2019 e mostrou dificuldades claras de quem ainda retoma a sequência no futebol. Até por isso Renato optou por colocá-lo desde o início. Precisa acelerar este processo de retorno de Lucas Silva às competições.

— O Lucas não joga há muitos meses. Já é difícil para quem volta de férias, imagina quem não joga há muito tempo — admitiu Renato sobre o volante.

Victor Ferraz também foi um dos estreantes da noite — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Victor Ferraz também foi um dos estreantes da noite — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Além do “treino de luxo”, Lucas Silva tem a necessidade de se ambientar com os comportamentos do time. Para onde precisa correr, aparecer em qual espaço, quando dar o passe e quando arrematar no gol… O mesmo vale para Victor Ferraz, também novidade no time.

No segundo tempo, outro estreante apareceu por conta de um erro. Vanderlei fazia um jogo sem sustos. Mas a cobrança de falta de fora da área de Ivan era defensável. Na opinião do próprio técnico gremista.

A torcida clamava tanto por uma mudança na meta que, antes mesmo do jogo começar, ele foi aplaudido veementemente pelos gremistas.

“O Vanderlei falhou no gol, claro, mas é um dos melhores do Brasil. Ele quase não jogou em 2019 e precisa pegar timo. Vai pegar quando? No Carnaval?” (Renato Gaúcho)

Renato faz teste com Everton

No segundo tempo, foi possível observar também uma mudança tática de Renato. Patrick iniciou o jogo no meio-campo e não teve bom desempenho. Apesar de meia central, o jovem apareceu vários momentos pelos lados do campo. No primeiro tempo, parecia algo casual. Mas depois do intervalo foi possível observar de maneira mais clara.

Renato formou um meio-campo com Maicon e Lucas Silva como volantes, alinhados. Aberto pela direita, voltou do vestiário com Patrick. Pela esquerda, esteve Alisson. Estes quatro em linha. E, pelo meio, como dois atacantes móveis, estavam Luciano e Everton. O Cebolinha já foi utilizado algumas vezes em 2019 fora da ponta, considerada sua posição de origem. Não deu exatamente resultado, mas já foi algo observado pelo treinador para o futuro.

— O importante é a movimentação dos atacantes. Não temos um homem de área, que sabe jogar ali. Temos muitas variações. Eles não têm uma posição fixa — explicou Renato.

Everton, atacante do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Everton, atacante do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Com isso, o comandante poderia, por exemplo, escalar Alisson, Everton, Pepê e Luciano juntos. Evidentemente, com a contratação de Thiago Neves, essa função deve ficar com o meia. Mas é uma novidade dentro das alternativas gremistas.

Com o resultado, o Grêmio não soma pontos no Grupo B. Na próxima rodada, o time de Renato Gaúcho enfrenta o Brasil de Pelotas, no domingo, às 16h, no Bento Freitas.



Veja também