Lucas Uebel / Grêmio

O Grêmio planeja reduzir em 10% a folha salarial do grupo de jogadores. Para isso, a ideia da direção é negociar alguns atletas pouco utilizados no plantel, como o goleiro Paulo Victor, o lateral Victor Ferraz, o zagueiro Paulo Miranda e o atacante Everton. A meta é economizar pelo menos R$ 1,5 milhão por mês.

O planejamento do clube para a temporada 2021 prevê que a folha salarial seja de no máximo R$ 12,5 milhões. Contudo, com a contratação do meia Douglas Costa e com algumas renovações contratuais que foram efetuadas, as cifras subiram para aproximadamente R$ 14 milhões. A meta é reduzir esta quantia.

Contestado pelo torcedor, Paulo Victor não atuará mais pelo Grêmio — já está alinhado um acerto para que haja uma rescisão amigável. O Tricolor inclusive busca um novo goleiro no mercado para ser uma alternativa a Brenno, Gabriel Chapecó e Adriel.

Já Paulo Miranda e Victor Ferraz caíram várias posições na hierarquia dos defensores. Enquanto o zagueiro perdeu espaço para o garoto Ruan, o lateral está atrás de Rafinha e Vanderson. Ambos devem ser negociados caso apareçam propostas.

O atacante Everton, por sua vez, vive situação parecida. Pouco aproveitado, o jogador está atrás de Luiz Fernando e dos garotos Léo Pereira, Léo Chú e Guilherme Azevedo na briga por uma vaga no setor ofensivo. Também deve sair.

Dos jogadores citados, pelo menos três devem ser liberados. Desta forma, a direção pretende cortar em até 10% a folha de pagamento, medida considerada importante para a saúde financeira do clube.



Veja também