Foto: Ricardo Giusti

Com a manutenção quase total do seu time titular campeão da América para 2018, o Grêmio irá ao mercado nesta virada do ano apenas para contratações pontuais. São quatro reforços na mira — que podem virar cinco. A direção quer dois zagueiros e dois atacantes. O zagueiro Bruno Rodrigo é um jogador que deve deixar a Arena, assim como Barrios — Bressan deve continuar, além dos defensores titulares, Geromel e Kannemann. A quinta posição seria um volante, mas só em caso de saída de Arthur.

O Grêmio não quer se desfazer de sua principal revelação e garante não ter recebido nenhuma proposta oficial ainda, apesar da forte sondagem do Barcelona. Porém, caso algum dos gigantes da Europa chegue disposto a desembolsar o valor da multa (que é de 60 milhões de euros, quase R$ 200 milhões), será virtualmente impossível segurá-lo.

O clube tem direito a 60% dos direitos, e já definiu que não vai negociar por menos que a multa nesta janela. Caso venda Arthur, usará parte do valor para buscar uma reposição à altura. Se Arthur se apresentar normalmente em janeiro, não será buscado um meio-campista.

Baixa no departamento de futebol 

Fora das quatro linhas, o clube poderá ter uma baixa. Peça importante na vitoriosa gestão atual, Odorico Roman não confirma sua permanência para 2018 na vice-presidência de futebol, cargo que desempenha desde setembro de 2016 de maneira informal e desde dezembro do mesmo ano de forma oficial. Braço direito do presidente Romildo Bolzan, Odorico já havia integrado por duas temporadas o Conselho de Administração, aonde chegou por indicação de Fábio Koff, e substituiu Adalberto Preis como vice de futebol por indicação do próprio Preis.

Odorico ainda participa das tratativas com Gerson Oldenburg, empresário de Renato Portaluppi, que veio a Porto Alegre cuidar da renovação de contrato. Há uma diferença entre o salário desejado pelo treinador e o que o Grêmio pretende pagar.



Veja também