Grêmio inicia busca pelo tri da Liberta com esperança em dois jogadores

Bolaños e Barrios são "fazedores de gols", mas com características diferentes

9 de março de 2017 - Às 12:07

Ao final de 2016, mesmo com o título da Copa do Brasil e qualidade coletiva para chegar frequentemente a poucos metros do gol adversário, diretoria, jogadores e comissão técnica do Grêmio tinham o diagnóstico de que a equipe passou por sérias dificuldades para balançar as redes. Por inúmeras vezes, Renato Gaúcho brincou que mostraria seus DVDs aos atacantes. Nesta quinta-feira, porém, o time estreia na Libertadores de 2017 com dois nomes que se sobressaem como definidores: Bolaños e Barrios. A partir das 19h30, o Tricolor enfrenta o Zamora, na Venezuela, pela primeira rodada do Grupo 8.

Não é certo que os dois nomes estejam no time titular da partida de logo mais, na cidade de Barinas. Mas se há alguém que pode “aproveitar as chances criadas”, conforme pediu o zagueiro Kannemann, são eles. A presença do equatoriano é incontestável. Chegou ao clube no ano passado justamente pelo faro de gol apresentado no Emelec, capacidade que os gaúchos não puderam aproveitar durante a Libertadores devido à grave lesão no maxilar.

Barrios foi contratado para ser o centroavante do Grêmio em 2017, mas não há certeza de que começará o duelo. Se iniciar no banco, tem presença praticamente garantida no segundo tempo, sedento por um passe ou uma bola quicando sem dono na área. Na estreia, no Gre-Nal do último sábado, mostrou disposição, disse estar à vontade e desejo de evoluir no dia a dia para se firmar.

Foto: Eduardo Moura

Boa relação fora de campo

Os gringos têm mostrado uma boa relação fora de campo. Sentaram na mesma fileira do avião fretado na viagem para a Venezuela, com Barrios cedendo wi-fi do próprio celular para os companheiros nas paradas sem internet. Nos treinamentos, estão constantemente juntos, conversando e fizeram parte do mesmo time no recreativo de reconhecimento do gramado do Estádio Agustín Tovar, na quarta-feira.

Por sua vez, o técnico Renato diz que ainda falta treino para o centroavante entrar no time e não mais sair. Barrios chegou com cronograma apertadíssimo. Já Bolaños vive grande fase. O equatoriano tem mostrado toda mobilidade e intensidade ausentes durante a temporada passada. É o artilheiro de 2017, com quatro gols marcados em sete partidas e centraliza as atenções da torcida. O presidente Romildo Bolzan Júnior deixou claro o quanto acredita nele:

– Quem tem Bolaños, tem 1 a 0.

O goleiro Marcelo Grohe aposta em uma “noite iluminada” de Miller:

– O Bolaños tem nos ajudado, feito a diferença em alguns jogos. E tem a experiência de ter jogado Libertadores pelo Emelec. É um jogador que vive uma grande fase, esperamos que esteja em uma noite iluminada e possa nos ajudar. Os outros jogadores também, para fazer um grande jogo e conseguir um bom resultado – opinou.

Bolaños é um meia-atacante bastante móvel. Se mexe, aproxima, entra na área e finaliza. Lá, porém, é o habitat de Lucas Barrios, que gosta de ver os companheiros mais perto. Ambos têm estilos bem distintos, mas que caminham para se completar. Resta a eles aprender sobre a movimentação um do outro para a parceria resultar em gols.



Veja também